Cinemix || Amor, Sublime Amor (West Side Story, 1960)




No lado oeste de Nova York, à sombra dos arranha-céus, ficam os guetos de imigrantes e classes menos favorecidas. Duas gangues, os Sharks, de porto-riquenhos, e os Jets, de brancos de origem anglo-saxônica, disputam a área, seguindo um código próprio de guerra e honra. Tony (Richard Beymer), antigo líder dos Jets, se apaixona por Maria (Natalie Wood), irmã do líder dos Sharks, e tem seu amor correspondido. A paixão dos dois fere princípios em ambos os lados, acirrando ainda mais a disputa.


Amor, Sublime Amor, é um filme no mínimo, interessante. Para que vocês possam me entender melhor vamos fazer um paralelo: imagine Romeu e Julieta, brigas de gangues e uma Nova York confusa. Imaginou? Coloque nesse fundo um musical clássico de 1950; esse é o tempero que nos a leva a viajar e nos encantarmos por esse musical de sucesso da Broadway e que foi adaptado para o cinema em 1960, sucesso absoluto na época.

A trama gira em tornos das brigas entre as gangues: os Jets  e os Sharks,  que vivem em eternos conflitos pelas ruas de New York, conflitos esses que são um hipnotizante balé, lembrando que o filme se trata de um musical. Entretanto, as coisas tendem a mudar quando um integrante da Jets se apaixona por uma bela mocinha dos Sharks. A partir daí eles terão que superar as barreiras e rivalidades para tentar vivenciar esse amor.

O filme é lindo, e apesar de ser um clássico dos anos 60 ele a continua atualíssimo. Amor, Sublime Amor foi um sucesso de crítica e público na época de seu lançamento e vencedor de 10 prêmios do Oscar de 1961, inclusive o de melhor filme. Vale muita a pena dar uma conferida, você vai querer dançar, rir e chorar com essa incrível história de amor.


Titulo Original: West Side Story
Lançamento: 25 de dezembro de 1961 (2h31min) 
Dirigido por: Robert Wise, Jerome Robbins
Atores: Natalie Wood, Richard Beymer, George Chakiris 
Gênero: Comédia Musical , Comédia dramática
Nacionalidade: EUA
Ano de produção: 160
Orçamento: 6.000.000

♫ Trailer


♪ Curiosidades (Fonte: Adoro Cinema)

Steven Spielberg pretende refilmar o musical Amor, Sublime Amor, porém, os estúdios Fox detêm os direitos da obra e não pretendiam refilmá-la tão cedo, mas como o nome de Spielberg é respeitadíssimo em Hollywood, os produtores já aceitaram conversar com o cineasta e discutir o projeto.


Dois diretores vencedores
Pela primeira vez na história do Oscar a premiação de melhor direção foi dividida entre dois diretores por um mesmo filme. Esta façanha permaneceu única até 2007, quando os irmãos Coen faturaram o prêmio por Onde os Fracos Não Têm Vez.

Direção compartilhada
O acerto original dos produtores com os diretores Jerome Robbins e Robert Wise era que Robbins fosse o responsável por rodar as cenas com canções e dança e Wise rodasse todas as demais cenas do filme.

Paciência esgotada
Jerome Robbins tinha a tendência de rodar as cenas diversas vezes, em busca da tomada perfeita. O preciosismo do diretor fez com que o orçamento do filme e a agenda de filmagens fossem ultrapassados. Quando o filme já estava com 60% de suas cenas já rodadas os produtores decidiram por demitir Robbins e passar para Robert Wise a responsabilidade de concluir o restante do filme.

Alto preço
Os direitos de adaptação da peça teatral para o cinema custaram US$ 375 mil aos produtores.

Mudando o casting
A maior parte do elenco da peça teatral da Broadway foi recusado pelos produtores por serem considerados velhos demais para um filme cujos protagonistas eram adolescentes. Como era costume em Hollywood a dublagem de atores quando estes cantavam em cena, vários atores que não sabiam cantar foram testados para os principais personagens do filme.

"Próximo!"
Suzanne Pleshette, Jill St. John, Audrey Hepburn, Anna Maria Alberghetti, Elizabeth AshleyAnthony Perkins,Warren Beatty, Bobby Darin, Burt ReynoldsRichard Chamberlain, Troy Donahue e Gary Lockwood chegaram a fazer testes para integrar o elenco de Amor, Sublime Amor.

Dos palcos para os estúdios
Seis atores da peça teatral na Broadway estão também presentes na adaptação cinematográfica: Carole d'Andrea, Tony Mordente, William Bramely, Jay Norman, David Winters e Tommy Abbott.
George Chakiris havia interpretado o personagem Riff na montagem da peça teatral em Londres. Já Tony Mordente já havia interpretado o personagem A-Rab, na Broadway.



Não pôde aceitar
A personagem Maria chegou a ser oferecida a Audrey Hepburn, mas ela teve que desistir da personagem por estar grávida na época das filmagens.

O Rei do Rock esteve cotado
Robert Wise inicialmente queria que Elvis Presley interpretasse o personagem Tony.

Playback
A atriz Natalie Wood foi dublada nas cenas em que canta por Marni Nixon. Já Richard Beymer foi dublado nas cenas em que canta por Jimmy Bryant enquanto o ator Russ Tamblyn foi dublado por Tucker Smith na cena em que canta "The Jet Song".
A atriz Rita Moreno foi dublada apenas na canção "A Boy Like That", por Betty Wand. Em "America" e "Quintet" é a própria atriz quem canta.


Locação
A sequência de dança da abertura de Amor, Sublime Amor foi realizada no local onde atualmente se encontra o Lincoln Center. Na época a área estava condenada e os prédios seriam demolidos mas, como a demolição sofreu atrasos, a cena de abertura pôde ser realizada no local.

Mexendo com o psicológico
Os produtores tentaram manter os atores que interpretariam gangues rivais afastados uns dos outros, na intenção de criar antipatia e tensão entre eles.



8 comentários

  1. Já assisti metade dele na tv a cabo, mas não havia conseguido ver o resto por causa dos estudos. Mais agora que você mencionou vou procurar e irei ver. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Oi Patrícia, ele parece ser bom, mas não me empolgou muito.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  3. Não curto filmes antigos. Não é preconceito ou antipatia por ser "velho", nada disso, até porque amo músicas de outras décadas e obras tbm. Maas filme.. não é a minha praia.
    bj, dréa

    ResponderExcluir
  4. Não gosto de filmes antigos, e musicais antigos pior ainda.
    Sinceramente não me interessou, não assistirei :/

    ResponderExcluir
  5. Nossaaaaa, eu adorei esse filme quando assisti. Faz muuuito tempo que eu assisti, mas eu lembro que tinha adorado as músicas e a história. Hoje eu nem gosto mais de musicais :P
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Eu nunca nem ouvi falar do filme. Mas definitivamente não é pra mim! Não gosto nem um pouco de musicais, e também não gosto de filme antigo. Então com certeza nem vou assistir =/
    Bjss

    ResponderExcluir
  7. Oi, essa é a primeira vez que vejo falar desse livro, e fiquei bem curiosa para ver ele, apesar de ser um clássico dos anos 60, e tem um tempão que não vejo filmes mais antigos, eu curto esses filmes eles são bons, adorei a dica.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  8. Não curto muito filmes antigos e muito menos musicais... Mas obrigada pela dica!

    Beijos

    ResponderExcluir