Arqueiro, 2014,  1ª Ed.

Kate Baron, uma bem-sucedida advo­gada, está no meio de uma das reuniões mais importantes de sua carreira quando recebe um telefonema. Sua filha, Amelia, foi suspensa por três dias do Grace Hall, o exclusivo colégio particular onde estuda. Como isso foi acontecer? O que sua sensata e inteligente filha de 15 anos poderia ter feito de errado para merecer a punição?
Sua incredulidade, no entanto, vai aos poucos se transformando em pavor ao deparar, no caminho para o colégio, com um carro de bombeiros, uma dúzia de policiais e uma ambulância com as luzes desligadas e portas fechadas.
Amelia está morta.Aparentemente incapaz de lidar com a suspensão, a garota subiu no telhado e se jogou. O atraso de Kate para chegar a Grace Hall foi tempo suficiente para o suicídio. Pelo menos essa é a versão do colégio e da polícia. Em choque, Kate tenta compreender por que Amelia decidiu pôr fim à própria vida. Por tantos anos, as duas sempre estiveram unidas para enfrentar qualquer problema. Por que aquele ato impulsivo agora?
Suas convicções sobre a tragédia e a pró­pria filha estão prestes a mudar quan­do, pouco tempo depois do funeral, ela recebe uma mensagem de texto no celular:
Amelia não pulou. Alternando a história de Kate com registros do blog, e-mails e posts no Fa­cebook da filha, Reconstruindo Amelia é um thriller empolgante que vai surpreender o leitor até a última página.


Reconstruindo me fez refletir como mãe, simplesmente me fez pensar que algumas vezes estamos na correria do dia a dia e não nos damos conta realmente de pequenas mudanças que nossos filhos apresentam e que podem definir um futuro, uma vida!
Amélia é jovem e um tanto quanto retraída, não é de muitos amigos, uma joem inteligente com notas impecáveis; não é destaque em se tratando de popularidade, mas também não é a “escória”; sua melhor amiga desde sempre é Sylvia, popular e vista como vadia. Amélia ainda não se envolveu com garotos, simplesmente mesmo achando alguns gatinhos, não foi algo que despertou o interesse  nela em começar algo no quesito romance o que a torna um pouco pensativa a respeito e curiosa.. Fazendo com que ela faça algumas perguntas a sua mãe.

Kate Baron é advogada sócia em uma empresa de prestígio e passa a maior parte do seu tempo dedicando-se a carreira, mas sem deixar de separar os momentos para estar junto de sua filha Amélia. As duas se dão bem, e sempre que podem tiram um tempo para as duas!
Em dado momento, Amélia começa a demonstrar certo interesse pelo pai, cuja identidade Kate omite. Assim como demonstra certo interesse em largar a escola e ir dar um tempo fazendo cambio em outra cidade.

Kate escolheu criar a filha sozinha e fez um ótimo trabalho, Amélia é doce, inteligente, e tem um futuro brilhante pela frente! Se não fosse sua recente entrada em um clube secreto, pois a partir daí a vida de Amélia começa a desandar e o que era para ser um futuro brilhante.. torna-se um verdadeiro pesadelo! Mesmo sabendo que algumas coisas são erradas e vão contra tudo que Amélia acredita, ela pratica ações duvidosas e se envolve em uma teia de intrigas e mentiras sem ao menos se dar conta de que é muito perigoso o caminho que está trilhando. Tudo isso porque ela se apaixonada e acredita que se mantendo no clube secreto estará mais perto de seu amor! Só que esse amor pode não ser tão doce quanto se espera..
O que será que aguarda Amélia e Kate?

“Amelia não vai ter menos só porque eu sou sozinha.
Não agora. Nem nunca”
(Kate Baron com relação a sua filha)

Nem sempre o mais importante são os bens materiais, muitas vezes uma simples palavra de carinho, uma presença vale mais que qualquer objeto ou bem que o dinheiro possa comprar!
A narrativa é intercalada entre o ponto de vista de Kate, e através de blog, sms e postagens de facebook relacionados à Amélia. Kate pouco a pouco vai desvendando uma teia que nem mesmo tinha conhecimento de ter sido tecida e descobrirá fatos sobre Amélia que ela jamais imaginou e até mesmo algo crucial sobre a paternidade de sua filha!
Kate é uma mãe muito boa, mas que não percebeu as mudanças de Amélia e acabou e seu dia-a-dia corrido acabou afastando-a de seu maior bem, de seu único amor, sua filha! Por mais próximas que fossem, Kate não sabia quase nada sobre a nova Amélia que vinha surgindo junto a imaturidade adolescente, o primeiro amor e as primeiras burradas, que custou muito mais do que eu como leitora gostaria de ter lido!

Sylvia, melhor amiga de Amélia, é uma pessoa um pouco egoísta e muito sem noção, fiquei chateada com ela diversas vezes.. Pois se ela tivesse sido uma amiga mais preocupada talvez tivesse tido conhecimento do que estava se passando na vida de Amélia. Por outro lado, Amélia também erra como amiga quando esconde coisas de Sylvia.. Mas é compreensível a atitude dela.
O grupo com o qual Amélia se envolve é destrutivo e completamente superficial. São pessoas que querem estar em um grupo por estar.. Uma rodinha, fazendo coisas erradas pelo simples fato de se fazerem crer que elas podiam.. Que elas estão acima de regras e leis.

Mesmo sabendo desde o começo para onde as coisas seguiam eu tentei manter um fio de esperança de que não fosse bem assim, de que algo bom surgiria, de que aquilo não era verdade.. O livro é muito bem escrito e descrito, com um cenário palpável e personagens reais!
Fiquei tensa o tempo inteiro, e com essa leitura parei realmente para refletir sobre as inúmeras vezes que meus filhos chamam a minha atenção sem que eu a dê realmente e essa leitura me fez perceber que preciso estar mais presente, mesmo que o mundo esteja um caos, minha vida pessoal e etc.. pois há erros que não podemos consertar e a dor desses erros é para sempre!


Se eu recomendo? Deveria ser leituras obrigatória! 

14 Comentários

  1. Maravilhosa a sua resenha! Parabéns.
    Estou de olho nesse livro desde o lançamento. A história parece tocante e sensível, daquele tipo que faz a gente refletir sobre como lidamos com as pessoas, tanto como pais, quanto como filhos e amigos.
    Me peguei pensando sobre o que faria no lugar das personagens, mesmo sem ter lido a história ainda. Isso é um forte indício de que vou adorar a trama.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é muito bom, ele relata coisas do cotidiano, o exemplo mais nítido e esse os pais não conhecerem os filhos. Li o livro é amei mesmo não tendo filhos ele me fez refletir e pensar, e começar presta mais atenção, a tudo que está em minha volta. A mãe da Amelia precisa redescobrir a filha para entender o que aconteceu, é ela mostra que não conhecia nada da "nova" Amelia e como a filha estava mudada. O livro mostra que muitas vezes por mais que você conviva com a pessoa muitas vezes não conhecemos nada dela.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá, quero muito ler esse livro depois dessa sua resenha ainda mais. Adoro livros sobre mãe e filhos, faz refletir pensar e nos dar algum ensinamento . Já está na lista ;)

    ResponderExcluir
  4. Oi! Esse é um dos livros mais comentados do ano, já ouvi tanto falarem dele que sinto como se já tivesse lido rsrs Amei esse livro desde o primeiro momento que li a sinopse, adoro tramas com suspense.

    ResponderExcluir
  5. Oi! Me apaixonei por esse livro já faz muito tempo, como uma amante fiel a suspense achei esse perfeito, cada vez que leio uma resenha sobre ele fico mais ainda empolgada. Estou louca para descobrir por que caminhos Amelia andou antes da sua morte.

    ResponderExcluir
  6. Quero muito ler esse livro, parece ter uma certa carga emocional né?
    Desde que o livro foi lançado, não vi nenhuma resenha negativa, o que, na minha opinião, significa que o livro é realmente bom.

    ResponderExcluir
  7. Oiee
    Adoro livros emocionantes e esse deve preencher muito bem minhas expectativas.
    Imagino toda a situação e a carga em cima de Kate ao descobrir depois desse
    trágico acidente uma Amelia que ela não conhecia.
    Sylvia nem parece ser "amiga" de Amelia,se importa só com ela mesma e não dava a minima pra amiga.
    beijos

    ResponderExcluir
  8. Imagino que situação difícil ela não deve ter passado. Isso mostra que o poder, dinheiro não é suficiente. Fiquei curiosa pela obra, sem dúvida.
    M&N | Desbrava(dores) de livros

    ResponderExcluir
  9. Oi Karini.
    Tenho muita vontade de ler esse livro. Parece ter uma narrativa bem envolvente e dinâmica com a presença de mensagens em blog, sms e postagens de facebook.
    Acho que é algo "normal' na fase da adolescência os pais não prestarem tanta atenção às mudanças na vida dos filhos. Porque os filhos também tendem a querer espaço.
    Espero poder ler esse livro. Ele parece ser ótimo.

    ResponderExcluir
  10. Esse livro é o que mas tem me chamado atenção ultimamente, so vejo críticas positivas e ela aborda um tema que eu adoro, possível suicidio junto com investigação... será uma das minhas próximas leituras.

    ResponderExcluir
  11. O livro parece ser ótimo, mas não sei se estou em condições de uma leitura assim!! Essa semana faleceu o filho de um conhecido meu, o menino tinha 4 aninhos, foi terrivel!!! Minha filha que tem 12 anos me perguntou como eu me sentiria se tivesse sido ela, eu nem consegui responder(cai no choro), então vou deixar esse livro para o futuro!!!

    Bjsssssssssssss

    ResponderExcluir
  12. Eu tenho vontade de ler este livro mas ao mesmo tempo não sei se ele é para mim,
    eu tenho medo dele ter um final muito triste...mas acho que vou dar uma chance a este livro e espero gostar e não chorar muito com ele rs, beijos.

    ResponderExcluir
  13. Nossa que livro tenso, o final deve ser agoniante, eu imagino.
    Leituras com dramas assim, envolvem tanto o leitor que o faz refletir bastante.
    E isso me atraiu bastante nesse livro, o modo com as emoções ficam em evidência, sabes?

    ResponderExcluir
  14. Oi Karini uma ótima leitura sem dúvida, e assim como você, também me peguei fazendo alguns questionamentos do meu comportamento com meus filhos.
    Bjs Rose.

    ResponderExcluir