Editora: Seguinte
Páginas: 448
Ano: 2017
Primeiro mandamento: matarás. A humanidade venceu todas as barreiras: fome, doenças, guerras, miséria... Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe de comportar a população por toda a eternidade. Citra e Rowan são adolescentes escolhidos como aprendizes de ceifador - papel que nenhum dos dois quer desempenhar. Para receberem o anel e o manto da Ceifa, os adolescentes precisam dominar a arte da coleta, ou seja, precisam aprender a matar. Porém, se falharem em sua missão ou se a cumplicidade no treinamento se tornar algo mais, podem colocar a própria vida em risco.
"O Ceifador" é o primeiro livro da série Scythe do autor Neal Shusterman e tem como protagonistas dois adolescentes: Citra e Rowan. A história gira em torno da existência da Nímbo-Cúmulo, uma nuvem que armazenava todo o conhecimento sobre a humanidade e que tornou-se uma entidade consciente no ano de 2040 e erradicou todos os males. Dessa forma, nesse universo criado pelo autor, não existem mais doenças ou eventos catastróficos. Então, é possível imaginar que não existem mortes. De que forma o crescimento populacional é controlado? Através de ceifadores.
Os Ceifadores são humanos que tem uma única missão: tirar vidas. Faraday é um deles e escolhe Citra e Rowan como seus aprendizes. Acontece que apenas um deles se tornará um Ceifador no final e mesmo nenhum dos dois estar empolgados com o estágio, ambos sabem que existem vantagens, como o fato de que seus familiares receberem imunidade (elas não podem ser coletadas por outros ceifadores).
O primeiro livro apresenta o universo dos Ceifadores e seus ensinamentos através do aprendizado de Citra e Rowan. Faraday vai explicando a importância do papel do Ceifador nessa nova sociedade e a importância de se ter honra e princípios para exercê-las.
"Ele me lembra que, apesar das ideias grandiosas e das muitas defesas para proteger a Ceifa da corrupção e perversão, devemos estar sempre atentos, pois o poder vem infectado com a única doença que nos resta: a natureza humana. Temo por todos nós se os ceifadores começarem a amar o que fazem."
O problema é que nem todos os Ceifadores são corretos e alguns deles são gananciosos e estão atrás de poder. É quando o leitor percebe que existe facções dentro dos Ceifadores, duas vertentes que tem objetivos completamente diferentes: uma deseja realizar o trabalho de forma honrada enquanto outra tem ideais políticos cruéis.
Citra e Rowan serão protagonistas de um jogo cruel, onde terão que aprender a exercer a função de Ceifadores e a sobreviver a essa luta interna.
"O Ceifador" é uma obra com uma trama totalmente diferenciada, com um enredo completamente criativo e inovador. Esse primeiro livro é a premissa de uma série espetacular que irá fazer milhões de leitores se apaixonarem.
"Todo dia rezo como meus ancestrais rezavam. Antigamente, eles rezavam para deuses falíveis e volúveis. Depois para um Deus único, implacável e aterrorizante. Então para um Deus amoroso e clemente. E, finalmente, para um poder sem nome. Mas a quem os imortais podem rezar? Não tenho respostas para isso, mas mesmo assim, posso levantar minha voz no vazio, na esperança de alcançar, para além do horizonte, algo mais profundo do que as profundezas da minha alma. Peço orientação. E coragem. E suplico—ah,como suplico!—para nunca me tornar insensível à morte que executo a ponto de parecer uma coisa corriqueira, banal. O que mais desejo para a humanidade não é a paz, o consolo ou a alegria. É que ainda morramos um pouco por dentro toda vez que testemunhemos a morte de outra pessoa. Pois só a dor da empatia nos manterá humanos. Nenhum Deus vai poder nos ajudar se algum dia perdermos isso!"

3 Comentários

  1. Olá estou lendo muitas resenhas positivas sobre este livro e achei este mundo criado pelo autor muito diferente e interessante com certeza estou ansiosa para ler.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Ola!
    Ja li tantas resenhas desse livro que me faz querer ler muito. A história é uma utopia ja que não existe mas amei esse novo universo criado onde não há doenças e nem coisas caatroficas mas gostei da forma de eles poderem encontra a maneira de quer a população não seja desvastadora. Espero conhecer mais essa história!

    ResponderExcluir
  3. Realmente uma premissa que nos chama a atenção por ser algo bem diferente das historias atuais, trama muito interessante.ja lista de desejados.

    ResponderExcluir