Resenha: Um Sedutor Sem Coração - Os Ravenels # 1 - Lisa Kleypas

EditoraArqueiro
Páginas: 320
Ano: 2018
Devon Ravenel, o libertino mais maliciosamente charmoso de Londres, acabou de herdar um condado. Só que a nova posição de poder traz muitas responsabilidades indesejadas – e algumas surpresas. A propriedade está afundada em dívidas e as três inocentes irmãs mais novas do antigo conde ainda estão ocupando a casa. Junto com elas vive Kathleen, a bela e jovem viúva, dona de uma inteligência e uma determinação que só se comparam às do próprio Devon. Assim que o conhece, Kathleen percebe que não deve confiar em um cafajeste como ele. Mas a ardente atração que logo nasce entre os dois é impossível de negar. Ao perceber que está sucumbindo à sedução habilmente orquestrada por Devon, ela se vê diante de um dilema: será que deve entregar o coração ao homem mais perigoso que já conheceu? Um sedutor sem coração inaugura a coleção Os Ravenels com uma narrativa elegante, romântica e voluptuosa que fará você prender o fôlego até o final.
Devon Ravenel acabou de ser informado de que um primo nada querido faleceu e que ele é o novo herdeiro do título e das responsabilidades da família. Enquanto que muitos ingleses ficariam exultantes em receber tais notícias em 1875, Devon fica irritado e frustrado, pois a última coisa que deseja é ter que se envolver com algo que dê trabalho. Muito menos algo que está falido e que não pode ser vendido, segundo os documentos que recebeu.

Devon conta apenas com a ajuda de seu irmão caçula Wes para decidir o que fazer. Não que Wes seja realmente uma ajuda. Com apenas 24 anos de idade, o irmão do protagonista é um alcoólatra crônico, que até mesmo apresenta sintomas físicos da doença.

Os dois acabam saindo de Londres para verificar a propriedade em Eversby, local que, segundo os números, está dando grandes prejuízos e é também onde está a viúva e as irmãs do falecido. Chegando lá os dois se deparam com o caos. Eversby não teve uma renovação em décadas, situação que fica clara ao pisarem no local. Além disso, várias promessas foram feitas aos arrendatários e nunca foram cumpridas, deixando o povo do local com técnicas primitivas de agriculturas e sem o mínimo necessário para sobreviverem. Mas nada disso se compara com Kathleen, a lady Trenear. A viúva de seu primo é belíssima, mas tem uma postura rígida e faz questão de cumprir as regras sociais, mas também não hesita em julgá-lo como um libertino que não dá a mínima para nada nem ninguém (o que é verdade), irritando ao extremo o protagonista. Kathleen esteve apenas três dias casada antes de se tornar viúva e a realidade é assustadora. Ela terá uma pequena pensão e terá que dar um jeito de usá-la para se sustentar e as três jovens cunhadas que moram em Eversby com ela. Afinal, o novo herdeiro não tem obrigação de sustentá-las e pelo visto, irá se livrar de tudo o quanto antes.
"Por algum motivo, o fato de saber que ela estava tentando se proteger tornava a situação ainda pior." (p. 250)
Ambos protagonistas digladiam como guerreiros, mas por baixo de toda essa tensão escondem-se passados dolorosos e uma atração que nenhum dos dois quer sentir.
"Parece que ainda não percebeu que, nesta vida, felicidade é opcional." (p. 253)
O romance vai se desenvolvendo lentamente, enquanto Kathleen cumpre seu luto obrigatório e Devon começa a compreender o que é ser responsável por outras pessoas. A autora também alterna a história entre os demais personagens, dessa forma, as três jovens: Helen, Pandora e Cassandra ganham destaque em algumas cenas, assim como Wes, que é um personagem que amadurece de forma admirável. Juntos, esse grupo heterogêneo acaba criando uma história completa, que ensina valores de honra, família, amor e recomeços.
"Você se tornou um hábito em minha vida. Se não estiver comigo, temo que comece a buscar substitutos para você. Tabaco. Estalar os nós dos dedos." (p. 259)

4 comentários

  1. Acho que o que mais me atrai nesse livro foi a sinopse eu sou muito apaixonada por romances de época e eu adoro os livros da Lisa kleypas então foi fácil para mim me apaixonar logo de cara por esse livro Apesar de que alguns blogs falaram que esse não é um dos melhores livros dela eu só tive vontade ainda maiores de ler esse livro

    ResponderExcluir
  2. Difícil não se interessar pelo livro depois desta super resenha e apresentação sobre o livro. Apesar de ter uma trama até meio clichê, creio que a forma que á amadurecimento entre os personagens é algo que para mim é sempre positivo no livro, e não fica daquela briga de gato e rato. E por ter vários personagens atrelados ao casal principal. Com certeza foi para minha lista de desejados ♥

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Devon é o típico mocinho de época que é um pé no saco até se render aos encantos de uma mulher, rsrs, não esperava menos da Lisa Kleypas.
    O enredo é sem dúvidas clichê (pelo menos pra mim), ainda não consegui enxergar algo mais complexo, mas eu gostei e estou ansiosa para ler, principalmente porque a história parece não conter aquele monte de cenas hots desnecessárias (eu espero).
    Amo essa capa <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. A Kathleen e o Devon se conhecem após uma situação complicada. Então, imagino que o livro tenha um desenvolvimento lento mesmo, acho que até na intenção de que não fique forçado esse relacionamento que está surgindo. Achei a capa desse livro tão bonita, esses tons combinaram bem. Vi que essa série tem uns 4 livros se eu não me engano. Me pergunto se algum deles tem haver com o Wes, seria curioso ver como ele lidaria com certas coisas, com certos problemas como o alcoolismo.

    ResponderExcluir