Editora: Record
Páginas: 336
Ano: 2018

*Recebido em parceria com o Grupo Editorial Record

Sinopse: A história completa do assassinato que chocou o Brasil Construído em ritmo de thriller, O pior dos crimes esmiúça o trágico caso que conseguiu estarrecer a opinião pública de um país rotineiramente violento. Em 29 de março de 2008, Isabella, de 5 anos, foi atirada ainda com vida pela janela do sexto andar do apartamento do pai, Alexandre Nardoni, e da madrasta, Anna Carolina Jatobá, na zona norte da capital paulista, e morreu pouco depois de chegar ao hospital. O que se seguiu foi uma investigação e um processo repletos de pistas mal perseguidas, depoimentos de suspeitos com “pegadinhas”, uso de informações falsas, pressões indevidas para a obtenção de confissões, perícias criminais deficientes e um Ministério Público empolgado com os holofotes. Se o caso Nardoni representou ou não um erro judicial, se houve elementos suficientes para uma condenação “acima de qualquer dúvida razoável”, o leitor será capaz de dizer a partir da leitura deste instigante livro-reportagem.

"Este livro, construído em ritmo de thriller, merece ser lido por todos que se interessam por investigação policial, sistema judicial, crime e castigo. Um dos mais importantes repórteres policiais de sua geração, Rogério Pagnan não se contentou em detalhar o trágico caso que, por inúmeras características, conseguiu estarrecer a opinião pública de um país rotineiramente violento. O autor foi além, enfrentando questões urgentes e ainda pouco debatidas no Brasil a respeito da natureza e dos limites de um processo judicial, o que torna esta obra, desde já, imprescindível no campo do Direito. Aqui estão expostos os vícios que alimentam uma engrenagem burocrática investigatória abaixo das necessidades de um país com seus 60 mil homicídios ao ano: pistas mal perseguidas, depoimentos de suspeitos com “pegadinhas”, uso de informações falsas, pressões indevidas para a obtenção de confissões, perícias criminais deficientes, um Ministério Público empolgado com os holofotes, dúvidas transformadas em certezas. Embora, vale dizer, não sejam características restritas ao Brasil, são ingredientes de uma receita destinada a produzir processos frágeis e cheios de dúvidas. Mas, se o caso Nardoni de fato representou ou não um erro judicial, se houve elementos suficientes para uma condenação “acima de qualquer dúvida razoável”, como se espera no desfecho de qualquer acusação, o leitor poderá dizer a partir da leitura deste instigante livro-reportagem. Pagnan demonstra o que sempre se espera dos grandes repórteres em quaisquer circunstâncias: cético sem ser cínico, afirmativo sem ser leviano, ágil sem ser superficial. Sua exaustiva pesquisa sobre detalhes do processo, contrapondo argumentos da acusação e da defesa, produziu uma peça da mais alta qualidade e mais alto interesse jornalísticos. Obra que deveria servir de reflexão para todos que, de uma forma ou de outra, no curso de suas vidas profissionais, como policiais, promotores, juízes e jornalistas, acabam tendo que lidar com episódios dramáticos como a morte brutal da menina Isabella Nardoni." (Rubens Valente, jornalista)


Bom dia pessoal, tudo bem? Hoje eu estou trazendo uma leitura de algo real que aconteceu de verdade e que chocou muitas pessoas na época.. Eu não consigo esquecer como fiquei abalada quando soube da notícia da menina de cinco anos que foi jogada pela janela supostamente pelo pai e madrasta. Um crime hediondo e sem perdão! Um ato de crueldade extrema. Senti a dor como se fosse com um filho meu. Acompanhei cada notícia querendo não acreditar que um pai pudesse fazer algo assim ou mesmo uma madrasta, pois se trata de uma criança inocente; um ser de Deus. Sinceramente até hoje me pego pesquisando nas redes sobre o assunto, sobre os acusados e tento entender o que aconteceu. Mas sinceramente, nada seria capaz de me fazer aceitar um ato como esses! Talvez entender as motivações por detrás do crime, mas aceitar que qualquer que tenha sido ela, seja algo aceitável; nunca! Porém, ainda na época em que o caso aconteceu e com todas as evidências apontado para o casal, ainda assim eu tive muitas dúvidas. Naquele período eu estudava Direito (trancado posteriormente) e analisei as coisas por diversos ângulos e nunca fiquei totalmente convencida dos acusados e motivações que a mídia nos apresentou. Não que eu acredite na inocência do casal, mas sempre achei que tinha muito mais por detrás daquilo tudo. Que estávamos sendo apresentados apenas à uma parte da situação.. Que tinha muita coisa não revelada para nós, meros mortais e espectadores!

O livro que tenho em mãos traz a história sobre o assassinato de Isabella Nardoni, uma menininha feliz e inocente que foi brutal e cruelmente tirada desse mundo. E nessas horas juro que me questiono por qual motivo Deus deixa algo assim acontecer. É impossível não questionar onde está Deus quando essa menina precisou de ajuda.. Mas depois de anos e com minha religião, entendo que na vida muitas coisas acontecem sem que tenha uma explicação clara para isso ou até mesmo para que possamos entender coisas maiores que nós e tudo mais. Ainda assim esse assunto; essa morte em questão mexe muito comigo! E quando eu digo isso não é da boca para fora. Meu marido é testemunha do quanto eu sou de certa maneira "obcecada" por esse caso em especial!
Eu chorei muito, eu senti muito - a dor foi tamanha na época que fiquei realmente mal, como se fosse comigo.. Não apenas a família perdeu seu ente, mas acho que todo o país se solidarizou e chocou com o caso em si e perdeu um pouco da fé no amor paterno ou materno como incondicional, entre outros! Na época eu tinha meu filho mais velho com seis anos e estava grávida da Ana, minha caçula!

Essa história é daquelas que sinceramente gostaria que fosse ficção apenas.. Mas infelizmente foi algo que aconteceu e faz parte da nossa história. Dez anos se passaram e para mim é como se fosse recente.. Lembro de toda comoção da mídia, das pessoas, do mundo em torno do ocorrido. O crime foi desvendado, pai e madrasta acusados antes mesmo de a justiça determinar através de todas as provas que pai e madrasta eram de fato os culpados ou únicos culpados. E quando foi feito toda a perícia e afins ficou claro na época que os culpados eram o pai e madrasta, pelo menos foi isso que queriam que todos acreditassem. E encerrar um caso que tinha toda uma população em volta revoltada e clamando por justiça era crucial. Porém, percebi que a população estava empenhada em ter os culpados que eles já haviam determinado e que a justiça estava de certa forma também pressionada a solucionar logo o caso, o que para mim é passível de erros e é justamente isso que o autor nos trás. Assim como a mídia que estava crucificando a cada notícia o casal, sem mostrar todos os lados da história.. Apenas um ou outro na época se deu ao trabalho de ouvir algo do casal!

Rogério Pagnan fala sobre "o pior dos crimes" de forma direta e sem uma posição de lados diante um crime que a população teria trucidado os indivíduos com as próprias mãos e com isso o autor nos faz repensar (no meu caso - mais uma vez) também sobre a funcionalidade de todo o nosso sistema judiciário e toda corrupção contida nele e se de fato os culpados ou únicos culpados foram devidamente punidos. Neste livro não temos apenas uma história recontada, mas uma história esmiuçada em seus mínimos detalhes cruciais e através de provas e fatos e não apenas especulações. O autor nos mostra como de fato a justiça em nosso país funciona e ao que estamos sujeitos.. Sim! Nós! Afinal, se cometermos um erro, um ato que fuja as regras impostas, estaremos a mercê de sermos julgados, condenados e viver um verdadeiro mar de incertezas muitas vezes. Injustiças podem acontecer e em um sistema que já se mostrou milhões de vezes falho e ineficaz, isso não é algo pouco provável e sim muito fácil de ocorrer!

Rogério Pagnan é um jornalista que ficou também muito interessado nesse caso e resolveu promover sua própria investigação sobre o que aconteceu no caso Nardoni. Ele mostra, o que eu já havia acompanhado na época e fala sobre o que investigou e encontrou aqui e ali; porém ele faz isso de maneira mais direta e incontestável, nos trazendo novos fatos, provas e coisas que a mídia não reproduziu. Trazendo muitos erros cometidos durante a pericia e o autor coloca dúvidas em nossas cabeças, sem escolher um lado, apenas mostrando os fatos reais, como eu disse. Tem muita coisa no livro que fala sobre os condenados Anna Carolina e Alexandre Nardoni e também sobre pessoas envolvidas na investigação que não são tão críveis quanto se pensava, sobre erros, mentiras e afins. Sei que eu nunca fiquei completamente satisfeita ou convencida dos fatos apresentados, sempre com a sensação de que tinha mais coisa ali.. Como sabemos, quando pressionados, é da natureza humana que confessemos ou falemos as verdades antes não admitidas e nesse caso em especial temos um casal que se manteve firme em suas declarações por um longo período, mesmo separados, mesmo sendo perseguidos por todos.. Mas aos poucos foram surgindo novas evidências, fatos e situações que puseram em dúvida as condenações e sinceramente eu ainda espero que em algum momento que esse caso seja reaberto para uma nova análise com tantas coisas que surgiram depois dessas condenações!

Na época ainda, teve a coisa com o pai do Alexandre que não me saiu da cabeça, mas as pessoas parece terem deixado para lá! Eu acredito que esse senhor tenha envolvimento direto no ocorrido de uma maneira ou de outra! O casal era instável, sempre brigando segundo disseram e sabemos; ou pelo menos nos mostraram na época isso como motivação inicial para a série de acontecimentos que terminou com o corpo da menina jogado pela janela.

Espero que me entendam que assim como o autor desse livro, eu achei que foram rápidos em acusar e completamente ineficientes para investigar outras linhas que surgiram na época, mas que parecem ter sido "abafadas". Em determinada situação sei que a madrasta agrediu a criança, como ela mesma diz em seu depoimento, sei que teve uma briga como o casal afirma; sobre o telefonema que o sogro recebeu após Isabella ser jogada do apartamento, isso foi algo que me intrigou.. Eu acredito que não sabemos todas as verdades! Que falta algo.. Sei lá! Independente de qualquer coisa, depois de tanto tempo, as coisas estariam mais claras.. Mas tanto Anna Carolina, quanto Alexandre mantém suas afirmações iniciais! E acho isso completamente relevante. E com a leitura desse livro e informações que o Rogério Pagnan nos traz, fiquei ainda mais pensativa!

O autor não escreveu esse livro com intenção de inocentar ou acusar e sim de demonstrar as inúmeras falhas do sistema durante o processo de investigação e isso fica bem claro a cada página virada! O trabalho dele é jornalístico investigativo e muito bom! Quem já gosta dessa pegada policial, terá em mãos um caso real e conhecido para ler e interpretar tudo de acordo com suas próprias crenças diante as provas apresentadas!

Recomendo a leitura e acho até muito importante, afinal não fala somente sobre o caso em questão, mas sobre o nosso sistema judiciário!



29 Comentários

  1. Uau... Isso é muito intenso e instigante. Dá curiosidade, apesar da barbaridade que foi esse crime!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é.. os sentimentos que transpassam as páginas são intensos e perturbadores..

      Beijos.

      Excluir
  2. Minha nossa que resenha, primeiramente: Parabéns estou besta. rs
    Eu já tinha escutado alguns comentários sobre a obra e apesar de não ser o meu tipo de leitura fiquei muito interessada pelos seus comentários, deve verdadeiramente mexer com você, adorei.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa história por ser real, já é super intensa. E o livro em si, nos traz muito o que pensar.

      Excluir
  3. Oi! Esse crime foi realmente monstruoso! Eu me lembro de como foi falado e amplamente acompanhado nas mídias do país. Gosto muito de livros assim, que retratam uma história verdadeira, muito triste e horrível, mas verdadeira.
    O acompanhamento dos fatos, das investigações, os depoimentos dos envolvidos, toda aquela força tarefa que foi designada para solucionar este crime, tudo isso ainda hoje é muito confuso e ainda que tenha acontecido o julgamento e os culpados tenham sido condenados, existe uma sensação de será que foi tudo?
    Este livro é uma das minhas leituras favoritas e desejadas para esse ano.

    Bjoxx – http://www.stalker-literaria.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale a pena. E pelo que percebi, assim como eu, você tem a sensação de que faltou algo. Realmente, como você disse a tudo aquilo foi confuso. Virou um circo com a necessidade imediata de punir alguém.

      Excluir
  4. Oiie. Eu não gosto de histórias com casos reais porque de uma forma ou de outra tendo a acha-las tendenciosas. Mas lembro bastante deste caso e concordo contigo quando diz que o pai teve envolvimento de alguma forma.
    Sempre achei bastante triste o que aconteceu com a menina. E ainda mais revoltante como ninguém fez realmente nada para prender os culpados do assassinato de uma garotinha inocente.
    Apesar de saber que não lerei o livro, achei fantástico o modo como expôs teus sentimentos nessa resenha. Beijos.

    Blog: fanficcao.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é.. Essa história assim como tantas outras foi e é muito triste sim. Eu acho que essa em especial, assim como o caso Madelaine, mexeram demais comigo. Prenderam supostos culpados.. Mas acho que coisas passaram e tenho muitas dúvidas se prenderam todos os culpados.
      Eu não consegui fazer uma resenha tão imparcial, pois eu me envolvi muito nas pesquisas e tal, pois estava grávida e tinha o meu filho que na época tinha idade próxima a da menina..

      Mas concluindo.. os erros foram muitos.. e nosso judiciário não é confiável!

      Beijos e obrigada pela visita e comentário

      Excluir
  5. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia este livro mas ainda bem que gostaste de fazer a leitura!!

    Enfim, não e propriamente o meu género habitual de leitura, mas fiquei curioso. Que bom que o autor vai apenas apontando as falhas!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita e comentário.
      Pois é, o autor de forma imparcial nos mostra erros e imperícias.. e acho uma leitura importante, pois retrata um judiciário ao qual todos estamos sujeitos.

      Beijos.

      Excluir
  6. Oi, tudo bem? Apesar de jornalista, eu não me interesso muito por esse tipo de notícia, aliás, eu sempre quis ficar bem longe do exercício tradicional da profissão. Eu não sabia que esse livro existia, acho importante que materiais assim sejam escritos, especialmente porque o jornalismo nunca é, de fato, imparcial - e me parece que, com este livro, o jornalista quis tentar sem mais objetivo em relação à notícia, realmente enfatizando que sempre existem dois lados (e que, de fato, eles nunca são mostrados inteiramente nas mídias). Não leria o livro, pois o assunto não me interessa, mas reconheço a importância de materiais assim, inclusive para fins de interdisciplinares.

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te entendo Nina.. E o jornalista em questão ele defende sim que toda história tem dois lados e através de provas ele mostra que teve muita falha pericial e no judiciário em si..
      Eu me interesso muito pelo assunto, pois cursava Direito e amo jornalismo.. E foi uma história que me chocou muito.

      Beijos e obrigada pelo comentário

      Excluir
  7. Oi Karini
    Ótima sua resenha!
    Eu também fiquei muito impressionada com este caso terrível.
    Já tinha ficado com vontade de ler o livro, pois gosto muito de livros escritos por jornalistas e baseados em fatos reais.
    Hoje por coincidência passou um especial sobre eles na Globo News.
    O livro vai pra lista
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, perdi esse especial! Vou procurar depois para ver se acho.. Me interessa verdadeiramente esse caso em especial, pois como eu disse não fiquei plenamente convencida de tudo que aconteceu e apresentaram como prova.

      Beijos e obrigada pela sua visita e comentário.

      Excluir
  8. Nossa, lembro desse crime e não sei se encararia e leitura mesmo sabendo que fala bastante d nosso sistema judiciário. Geralmente pego livros para uma "fuga", quem sabe mais pra frente.
    Bjs,
    Tell me a Book

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te entendo.. Eu já li muita coisa suave em um período, justamente para usar como fuga da nossa realidade cruel e até de problemas vividos no momento.

      Leituras por prazer são maravilhosas..

      Mas se algum dia se interessar, recomendo fortemente esse livro, por se tratar de um assunto real.. e principalmente ás críticas ao judiciário ao qual todos nós estamos sujeitos.

      Beijos e obrigada pela sua visita e comentário

      Excluir
  9. Apesar da sua resenha muito bem feita, o livro não me chamou atenção, pois o gênero não é de meu interesse. Desta vez irei passar a dica.
    Beijos. Versos da Alma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te entendo Laura.. Também sou assim, as vezes tem livros que não são para mim.. No meu caso em geral os eróticos e romances clichês e melosos demais. Ainda assim agradeço sua visita.

      Beijos.

      Excluir
  10. Olha, não sei se eu teria coragem de ler... Li um outro livro de jornalismo investigativo sobre o caso Pedrinho, fiquei absurdamente revoltada com os detalhes da justiça do nosso pais, não acho que eu vá aguentar ler logo nesse estilo novamente. Acho que ninguém nunca vai esquecer o caso dessa garotinha, se pra mim foi aterrorizante imagina pra você grávida e com um filho quase da mesma idade...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então esse é um ponto forte.. Justamente às críticas ao judiciário ao qual todos estamos sujeitos, os erros periciais e a condenação sem a certeza plena de algo..
      Te entendo totalmente sobre se sentir revoltada.. é muito complicado mesmo ler esse tipo de coisa tão real e que mexe com um ser humano de verdade e não se sentir indignado!

      Pois é.. Esse caso mexeu comigo como tantos outros.. Mas acho que em especial por estar esperando a Ana e ter o João, na época com idade tão próxima da Isabella. A todo instante me perguntava: "Senhor, que mundo é esse?"

      Muito triste.

      Obrigada pela visita Juliana e por seu comentário.
      Beijos.

      Excluir
  11. Oi Karini!
    Eu estou ainda decidindo se vou encarar essa leitura. Lembro quando aconteceu o assassinato com a Isabela, fiquei bem chocada e por um bom momento muito se falou do assunto. Mas agora com esse novo lado mostrando um pouco do outro lado certamente vou ficar chocada.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, foi um crime horrível! Não tem como não se chocar.. Mas um dos principais fatos que acho essa leitura importante é que teve muitos erros periciais e põe em cheque o nosso judiciário ao qual todos estamos sujeitos.

      Beijos e obrigada pela visita.

      Excluir
  12. Oi karini, lembro bem do caso e já tinha visto o livro, mas não tenho muito interesse da leitura. Independente disso, acho importante este tipo de publicação,onde os fatos são mostrados independente do que acreditamos.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  13. Nossa Karini essa história abalou e chocou muitos brasileiros e trazerem esse fato real em um livro é impressionante!

    ResponderExcluir
  14. Oiiii,

    Direito penal realmente não é a minha praia, é uma disciplina que eu não consigo gostar mesmoooo, mas o caso Nardoni mexeu muito com o país inteiro e eu realmente fiquei curiosa para ler o livro é saber um pouco mais, porque realmente nosso sistema é muito falho e este caso ficou sem muitas respostas. Coloquei o livro na minha lista para poder conferir depois um pouco mais sobre o caso.

    ResponderExcluir
  15. Oi Karine! Tudo bem?
    Eu tinha por volta de vinte anos na época que isso aconteceu. Foi horrível, foi difícil, ainda hoje é para mim relembrar tal crueldade. Imagina a mãe dela como não deve se sentir até hoje sabendo que a história nunca foi realmente esclarecida porque realmente teve muita coisa que nunca ficou realmente respondida.
    Quanto a questão do Judiciário no nosso país, é só olhar as notícias recentes e tu vai ver a podridão presente.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://www.galaxiadeideias.com/
    http://osvampirosportenhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Oiii!

    Eu não tenho coragem de ler esse livro, primeiro por não gostar muito de não ficção, segundo por não conseguir sentir empatia pelo casal citado. mas uma coisa eu concordo, as acusações foram feitas rápidas demais, mas eu sempre acho que isso acontece principalmente pela interferencia da mídia. Chama o clamor publico e isso força respostas errôneas.

    Beijinhos,

    ResponderExcluir
  17. Oi, Karini!
    Dificilmente conseguiria ler esse livro sem sentir muita raiva e revolta. Foi um caso que abalou todo o país, além de ser muito triste. Acho que essa leitura exigiria muito de mim. Mesmo assim gostei bastante de sua resenha.

    Beijos,

    Rafa [ blog Fascinada por Histórias

    ResponderExcluir
  18. Olá Karini, tudo bem?

    Eu sou fascinada por livros com essa temática. Assisti outro dia à reportagem que passou no canal ID sobre o caso e é realmente impactante. Vou deixar esse anotado aqui na lista de próximas compras.

    Beijos
    @blogodiariodoleitor

    ResponderExcluir