Resenha: A Mulher na Janela - A.J. Finn

Editora: Arqueiro
Páginas: 352
Ano: 2018
Gênero: Ficção / Literatura Estrangeira / Suspense e Mistério
Onde Comprar: Amazon

Acervo pessoal

Sinopse: Anna Fox mora sozinha na bela casa que um dia abrigou sua família feliz. Separada do marido e da filha e sofrendo de uma fobia que a mantém reclusa, ela passa os dias bebendo (muito) vinho, assistindo a filmes antigos, conversando com estranhos na internet e... espionando os vizinhos. Quando os Russells – pai, mãe e o filho adolescente – se mudam para a casa do outro lado do parque, Anna fica obcecada por aquela família perfeita. Até que certa noite, bisbilhotando através de sua câmera, ela vê na casa deles algo que a deixa aterrorizada e faz seu mundo – e seus segredos chocantes – começar a ruir. Mas será que o que testemunhou aconteceu mesmo? O que é realidade? O que é imaginação? Existe realmente alguém em perigo? E quem está no controle? Neste thriller diabolicamente viciante, ninguém – e nada – é o que parece. "A Mulher Na Janela" é um suspense psicológico engenhoso e comovente que remete ao melhor de Hitchcock.


“Enquanto o antigo trem de cremalheira se arrastava pela encosta vertiginosa, Edmond Kirsch ia examinando o topo serrilhado da montanha.”


Olá meus queridos, como estão? Hoje vim falar sobre um livro que logo que vi, fiquei ansiosa pela leitura. Para aqueles que ainda não sabem eu sou da área da saúde e esses temas que tem uma pegada psicológica ou que incluem patologias clínicas pouco faladas sempre me chamam atenção.

A Mulher na Janela parece que fez muito sucesso fora do país e então foi trazido para nossa apreciação e impressão. Então falar sobre esse livro é falar sobre um misto de sentimentos que muitos podem se sentir confusos. 
Nossa protagonista Anna Fox tem agorafobia - que consiste em um medo mórbido de se achar sozinho em grandes espaços abertos ou mesmo de atravessar lugares públicos, sair de casa e por aí vai. Então é uma coisa difícil e até impossível de se imaginar em um primeiro instante, como alguém pode viver sem sair de casa e ter um contato direto com a sociedade e afins? Pois bem, Anna Fox vive sem sair de casa faz quase um ano. Sim gente! Um ano inteiro! Ela agora mora sozinha na casa silenciosa e espaçosa que um dia já teve seu marido e filha presentes. Ela encontra-se completamente sozinha em seu espaço e zona de conforto; claro que ela não é feliz assim, quem seria? De início não sabemos o que aconteceu com Anna para que ela se tornasse reclusa e isso é algo que instiga o leitor a virar as páginas e prosseguir com um misto de curiosidade de achismos.. Para passar o tempo Anna assiste filmes antigos em preto e branco, liga para seu marido ou ex marido, bebe muito, muito mesmo o que é um perigo já que ela faz uso de muitos medicamentos controlados e que misturados com álcool podem ter efeitos inesperados.. Mas sequer seus remédios Anna toma corretamente, então conforme vamos conhecendo Anna e percebendo suas divagações e a mania que ela tem de bisbilhotar a vida alheia pela janela través da lente de sua máquina, vamos percebendo o quanto ela é solitária e até muito peculiar, criando histórias para o que vê pela lente de sua máquina. 

Anna  faz terapia em casa, que percebemos não ajudar muito, assim como fisioterapia. E em dado momento uma família se muda para uma casa do outro lado do parque, onde Anna tem uma visão perfeita de tudo. Ela fica meio que obcecada por eles. A família Russells talvez lembre a sua própria, pois é constituída de três pessoas - pai, mãe e filho adolescente e de início vemos Anna divagando sobre a suposta família que aparente ser perfeita e ideal. Porém aos poucos Anna vai percebendo que de perfeitos eles não tem nada. Toda família guarda seus segredos e horrores e o que acontece sobre quatro paredes muitas vezes é impossível de se perceber em um primeiro instante. 

Esses vizinhos terão contato direto com Anna. Um dia o adolescente aparece levando um mimo de boas vindas, algo que seria ao contrário, Anna quem deveria fazer. E com isso ela pode conhecer um pouco o jovem de perto. Outro dia, a mãe do garoto pega Anna bisbilhotando e aparece em sua porta, age como se fosse algo normal e acaba bebendo com Anna e desabafando alguns segredos estranhos sobre o marido.. Em outro momento o marido aparece fazendo perguntas esquisitas e sendo esquisito.. 

Então o que temos é um emaranhado de situações onde percebemos de fato que as aparências enganam. 

Anna apesar de não sair de casa, não se contém em sua necessidade de ajudar as pessoas, ela trabalhava como psicóloga e está sempre entrando em um site com pessoas que sofrem da mesma fobia que ela e dando conselhos.. Que na ela não pratica, claro! Ela geralmente usa um apelido e se mantém anônima até que isso muda com uma mulher que chega no site a pouco e parece muito aberta e Anna acaba revelando algumas coisas sobre si.

Bom, A.J. Finn constrói uma trama muito interessante e instiga o leitor a prosseguir virando páginas e especulando sobre o que está acontecendo na vida de todos de fato e principalmente que raios aconteceu com Anna, uma mulher inteligente, que tinha supostamente um casamento e uma família feliz.. O autor aos poucos vai nos revelando os detalhes e te garanto que você irá ficar grudadinho nas páginas até o virar da última folha e por mais especulações e teorias que criemos não estamos de fato preparados para o que nos será revelado.

O livro é narrado em primeira pessoa e com isso podemos estar ainda mais por dentro do enredo e da mente da protagonista. 

Este livro vale cada hora de leitura e super recomendo! 


"Não é paranoia se está realmente acontecendo."

22 comentários

  1. Oi Karini, esta capa, sempre me intrigou muito, eu já estava querendo o livro, agora que li tua resenha, eu preciso dele. Toda estória que traz transtornos psicológicos me fascina, de certa forma, me identifiquei com a protagonista, mas, enfim... Gostei muito de tua resenha e já adicionei na minha infinita listinha de desejados.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Este livro ultimamente é o mais comentado e bem avaliado no meio literário. Mas nunca realemnte tinha lido uma resenha, posso dizer que a sua me intrigou e me deu muita vontade de ler.

    Rabiscando Livros

    ResponderExcluir
  3. já havia visto esse livro e agora que li a resenha estou querendo muito ler.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    A cada nova resenha desse livro, mais vontade de ler vai surgindo! Adorei conhecer um pouco mais dele através das suas palavras, algumas coisas que não tinham sido faladas antes eu descobri agora. Tudo me faz desejar poder adquirir um exemplar logo! Espero gostar como você!
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Oii tudo bem ?
    Adorei a resenha já vi tanto esse livro por ai que fiquei curiosa com a leitura irei adicionar na minha lista .
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oiii Karini

    Eu amo livros narrados em primeira pessoa, a gente se sente melhor na pele do personagem que nos conta o que está acontecendo. A trama desse livro me chama demais a atenção, eu adoro thrillers, quero ler esse com certeza.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  7. Quero muito ler esse livro e descobrir o que Anna viu na casa dos vizinhos, isso é se realmente ela viu alguma coisa rsrs. Parece ser eletrizante essa leitura e eu não vejo a hora de fazer.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Realmente já fiquei interessada pela sinopse e sua resenha maravilhosa só me deixou ansiosa.
    Vou na Amazon se tiver em e-book será minha próxima leitura. Obrigada! Bjs

    ResponderExcluir
  9. Olá!! :)

    Eu confesso que já ouvi falar imenso deste livro, ainda bem que gostaste de fazer a leitura! :)

    Enfim, que ótimo que a narração e na primeira pessoa, e que a trama e tao instigante para o leitor!!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  10. A vontade de ler esse livro só aumenta a cada resenha que eu leio. E a sua me deixou ainda mais empolgada. Não vejo a hora de iniciar a trama <3

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  11. Oi, como vai?
    Essa é terceira resenha desse livro que eu leio essa semana, menina! Estou ficando ansiosa para compra-lo e começar a leitura, mas tenho muitos livros na fila para ler...kk

    Beijos e abraços
    http://vickyalmeida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem? Fiquei com vontade de ler esse livro desde a primeira resenha que li, especialmente por tratar de saúde mental. Confesso que não sou muito de thrillers, mas esse me fisgou. E, na verdade, a agorafobia não é apenas isso que você escreveu, ela tá muito mais ligada a experiências negativas causadas em lugares públicos do que simplesmente por causa dos lugares públicos, então, faltou um contexto na sua explicação (mas eu entendo que você tirou essa informação incompleta da web). Gostei da sua resenha, vou ver se coloco na minha wishlist :)

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Karini, simmmm, quero muito ler esse livro, já é a terceira resenha que leio sobre ele, já está na minha lista. Beijos

    Nara Dias
    Viagens de Papel

    ResponderExcluir
  14. Oie!
    Nossa vi muita gente gostando desse livro e postando sobre ele! É muito bom quando o autor nos faz questionar sobre tudo o que está acontecendo na história! Não sou muito fã do gênero, mas quero me arriscar nesse livro! <3

    Beijos,
    Eli - Blog Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Olá Karini!
    Eu amei essa história. O autor soube esconder bem alguns fatos e aquele final ficou surpreendente. Devorei essa leitura e estou torcendo pra termos mais dos mistérios desse autor em breve no Brasil.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bem? Esse enredo é um dos poucos do gênero que me interessou desde a sinopse. E sua resenha só me deixou mais curiosa ainda. Também sou da área de saúde, mas estudante ainda, e com certeza casos curiosos sempre nos instigam. Espero ler em breve e também gostar!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Que história louca, adoro esses enredos louco que deixa o leitor ali, virando a noite lendo. Imagina ficar um ano dentro de casa, meu Deus, mas gostei de saber mais detalhes, sua resenha está ótima, me deixou ainda mais empolgada!

    beijos!

    ResponderExcluir
  18. Karini do céu, eu estou louca por esse livro e adorei a sua resenha. Esse gênero me desperta um grande interesse e essa premissa pra lá de curiosa está me deixando aqui doidinha pra ler também. Tenho visto muitos comentários sobre esse livro nas redes sociais, mas é a primeira resenha que eu leio sobre ele e é claro que fiquei muito mais curiosa do que já estava.

    ResponderExcluir
  19. Oi! QUe bacana ver que você gostou do livro. Também o li recentemente e achei muito bem construído, apesar de ter deduzido algumas coisas antes do final, mas realmente, é bem instigante acompanhar toda a saga da personagem e as diversas situações que aparecem e nos deixam confusos.

    ResponderExcluir
  20. Oi Karini, tudo bem?
    Amei sua resenha! Já tinha visto alguns comentários muito bons sobre o livro e fiquei curiosa, mas lendo sua resenha fiquei ansiosa para ler. Faz tempo que não leio nada com esta pegada. Amei a dica e já anotei!
    http://colecionandoromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Oii, tudo bem? Nossa, o começo da história me lembrou muito A Garota no Trem... Sei lá, o jeito da personagem, sua reclusão, seu vício em bebida... me lembrou vagamente a história da protagonista do outro livro, ainda mais que ambas são meio bisbilhoteiras, né?

    Mas adorei a premissa, e a resenha da história. Preciso mudar meus ares um pouco e acho que essa leitura virá a calhar.
    Obrigada pela dica!

    Xoxo
    Abby
    Blog Linhas Tortas

    ResponderExcluir
  22. Oi, Karini ^^
    Desde que esse livro foi lançado aqui no país venho acompanhando resenhas dele e só posso dizer que me remete muito A GAROTA NO TREM, essa questão de bisbilhotar o outro é muito humano e real. Acredite, isso acontece demais principalmente aqui no Brasil ashushs
    Fico muito feliz de ver os autores explorando o agorafobia que até pouco tempo atrás não era visto como uma fobia, somente como frescura. Eu até já começo a achar que o meu irmão mais novo tem uma vez que são difíceis os momentos que ele sai de casa,isso causa grande frustração para minha mãe. O bom de trazer discussão para essa fobia apresentada através do enredo é que o público em geral fica ciente que existe sim outras fobias e doenças. Com adaptação cinematográfica já garantida terá um alcance maior essa discussão, mas temo que acabem focando no mistério dos vizinhos e não trazer a importância para a fobia da protagonista.
    Essa questão dela beber muito enquanto toma medicamentos é um perigo e infelizmente por esse detalhe já me faz descartar que tal leitura pode ser feita por adolescentes uma vez que volúvel nessa idade é algo recorrente.
    Achei a capa maravilhosa e que mesmo simples parece traduzir muito do que o leitor irá ver no decorrer dos capítulos.
    Só posso dizer que desejo demais essa leitura!
    Muito obrigado pela resenha, girl. ^^
    Abraços.

    ResponderExcluir