Resenha: Mas Tem Que Ser Mesmo Para Sempre? - Sophie Kinsella - Record

Editora: Record
Autor (a): Sophie Kinsella
Páginas: 378
Ano: 2018
Gênero: Chick-lit / Ficção / Literatura Estrangeira / Romance
Onde Comprar: Amazon
 
* Recebido de Parceria*
Sinopse:  De uma forma divertida, Sophie Kinsella nos mostra que as pessoas que mais conhecemos são aquelas que também mais podem nos surpreender.

Juntos há dez anos, Sylvie e Dan compartilham todas as características de uma vida feliz: uma bela casa, bons empregos, duas filhas lindas, além de um relacionamento tão simbiótico que eles nem chegam a completar suas frases – um sempre termina a fala do outro.

No entanto, quando os dois vão ao médico um dia, ouvem que sua saúde é tão boa que provavelmente vão viver mais uns 68 anos juntos... e é aí que o pânico se instala. Eles nunca imaginaram que o “até que a morte nos separe” pudesse significar sete décadas de convivência. Em nome da sobrevivência do casamento, eles rapidamente bolam um plano para manter acesa a chama da paixão: de um jeito criativo e dinâmico, passam a fazer pequenas surpresas mútuas, a fim de que seus anos (extras) juntos nunca se tornem um tédio.

Porém, assim que o Projeto Surpresa é colocado em prática, contratempos acontecem e segredos vêm à tona, o que ameaça sua relação aparentemente inabalável. Quando um escândalo do passado é revelado e algumas importantes verdades não ditas são questionadas, os dois – que antes tinhas certeza de se conhecerem melhor do que ninguém – começam a se perguntar: Quem é essa pessoa de verdade?...”.

Um livro espirituoso e emocionante que esmiúça os meandros do casamento e que demonstra como aqueles que amamos e achamos que conhecemos muito bem são os que mais podem nos surpreender.



Olá meus amores, estou aqui com mais uma resenha que foge um pouco da minha zona de conforto. Eu já conheço a escrita da autora e gosto bastante, então quando vi esse lançamento eu fiquei bastante interessada, ainda que seja Chick-lit e Romance, algo que leio bem pouco.. Mas algumas vezes preciso para desanuviar a mente.

Vou começar falando sobre essa capa maravilhosa, estou encantada com ela de verdade. O trabalho da Editora foi excelente.. E me conquistou no "olhar", as vezes sou dessas.. Que gama na capa! rsrs

Esse livro fala sobre o amor em todas suas formas e o quão difícil muitas vezes é sentir, amar, demonstrar, aceitar, lidar.. Seja qual amor for, nem sempre fluí tranquilo para todas as pessoas, que tem suas ressalvas ou medos.. Nesta história iremos conhecer Sylvie e Dan que são aqueles tipos casais modelos, ideal de romance que muitos sonham por aí sabe? Estão juntos para o que der e vier, sendo companheiros, cúmplices, um está tão acostumado ao outro que nem é preciso muitas palavras para se fazer entender.. Basta um olhar, um sorriso, um suspiro e outro já sabe o que seu parceiro precisa. Parece um sonho para qualquer mulher talvez, esse tipo de relação.. Mas é aquela história que eu sempre digo.. Será mesmo que existe tamanha cumplicidade, lealdade, conhecimento, amor ou mesmo perfeição? Pois me parece o tipo arroz com feijão que casa perfeitamente no prato, se é que me entendem..

Juro que de verdade a relação deles é incrível, até que um médico dá um parecer que ambos ainda terão muitos e muitos anos pela frente juntos. Essa parte soa até engraçada, pois Sylvie tem aqueles pensamentos de tudo perfeito, muito maravilhoso, casal ideal.. Mas ao se dar conta que tem tanto tempo ainda pela frente parece que ela leva um grande tapa na cara e acorda do seu "sonho encantado" e começa a perceber falhas aqui, erros acolá, coisas que antes pareciam perfeitas, não o são mais.. Tem uns plots engraçados, quando ela pensa dali a longos anos. Se ela levava a vida ou a vida levava ela, vocês vão descobrir lendo.

Sei que ao se dar conta de tanta expectativa de vida ao lado da mesma pessoa ela meio que surta. Mas não se trata apenas da sua relação, se trata de conhecer a si mesma, saber o que deseja para si, entender o que está fazendo com sua vida, se está satisfeita, afinal, com tantos anos de vida, ela percebe que  mal se conhece.. Seus gostos, desejos, anseios.. É realmente como se ela acordasse de um sonho e visse a própria vida passando diante de seus olhos e isso a instigasse a tomar atitudes.

Bom, vou parar por aqui, para não estragar a surpresa de quem pretende ler o livro. Como todos bem sabem eu não sou a fofa dos romances, mas as vezes curto um aqui e outro acolá, vi muitas críticas sobre está história e para mim ela cumpriu bem seu papel.. Trás algo palpável em alguns pontos, a escrita envolvente que é característica da autora e tudo flui de maneira tranquila e rápida e uma das coisas que sempre noto ou reflito no meio de leituras como essa é se me identifico com algo.. E posso dizer que eu meio que surtei de uns tempos para cá, e vi minha vida diante meus olhos, meus sonhos que deixei para trás ao escolher ser mãe e esposa, mais tarde a frustração de não ter feito algumas coisas apesar da imensa alegria em ter uma família que amo.. Mas então estou tipo aquela música, "certo dia resolvi mudar, fazer tudo que eu queria fazer.." e assim resolvi cursar uma nova graduação.. Correr atrás do prejuízo da saúde que após os 30 nunca mais foi o mesmo e muito menos depois da Chikungunya.. Ainda não estou nem perto de onde quero chegar, mas tenho plena certeza que não medirei esforços para alcançar as metas que tracei.. E todas inclui minha família, pois eles são muito, muito importantes para mim, sempre me apoiando e sempre caminhando lado a lado para que possamos conquistar mais e sermos felizes. 

Para provar o que sempre digo, que independente de gênero, muitas vezes podemos tirar reflexões, podemos nos identificar ou mesmo perceber algo mais real em uma ficção.. 
Já li alguns livros da autora que gostei bastante, como eu disse acima, mas percebi nesse enredo uma maturidade diferente, e talvez seja isso que as pessoas não estejam habituadas quando se trata de Sophie Kinsella, que em geral escreve romances engraçados e tipo sessão da tarde, o que não tira o mérito de escrita envolvente em nenhuma das situações.

Eu gostei da história e espero que outras pessoas venham a gostar também.. 
Beijos.

19 comentários

  1. Oi Karini!
    Legal saber q esse livro tem uma maturidade maior! Da Sophie só li Fiquei com o seu número, que amei, é bem divertido!
    Parabéns pela atitude de mudar e tomara que vc consiga realizar suas metas!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Karini, eu tenho uma amiga que diz que esse não é o melhor da autora, mas ela gostou bastante. se cumpre o que propõe pra mim já está valendo e é bom um romance que gera uma boa reflexão. Ainda quero conferir!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  3. Acredito que tenha sido essa maturidade e jeito diferente de construir a história que desanimou os fãs, né? Poius só encontrei notas baixas para esse livro. Faz tempo que não leio nada dela e adoro/me divirto demais com a escrita dela. Esse está aqui esperando uma chance na fila hahahahahhaa e espero conseguir ler em breve.

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Nunca li nada da autora, porém pretendo mudar isso esse ano. O gênero não é um que eu costume ler, mas gosto bastante. Adorei conhecer este novo livro da autora através da tua resenha, que parece ser bem divertido e, ao mesmo tempo, trazer reflexões bem interessantes sobre o amor.

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Cara, minha amiga me recomendou muito esse livro e que morro de vontade de ler ele, mas ainda não tive coragem de tirar ele da tbr sabe kkkk Acho que precisamos refletir sobre o amor sim e esse livro parece ajudar bastante com isso, adorei!

    ResponderExcluir
  6. Olá, que bacana saber que esse livro te trouxe essa identificação com as inquietações da personagem. Realmente, nenhum relacionamento é perfeito e alguns nos exigem abrir mão de muita coisa. Quero logo conhecer a escrita da autora. Ótima resenha.

    http://petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oiii Karini

    Acho que livro tb vai muito com o momento, tem livro que tem um monte de critica ruim mas a gente lê e acaba gostando justamente por estar no clima para ler aquela história. Eu adoro o trabalho da Kinsella, a narrativa dela é maravilhosa, fluída e leve, mas realmente já ouvi dizer que esse é o mais fraquinho dela, talvez as criticas sejam porque pelo que notei esse é diferente dos que ela costumava publicar, traz a tona outro tema mais reflexivo. Eu quero ler esse livro pra tirar minahs próprias conclusões. Espero gostar.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, karini.
    Eu ainda não li nada da autora, mas enho muita vontade porque sempre vejo muitos elogios para as obras dela e eu curto bastante o gênero. Eu não conhecia esse livro e a premissa dele me interessou, acho que pode ser uma boa leitura. Eu gostei de ver a sua resenha dele e mesmo não sendo um gênero que você leia com frequência você teve uma boa experiência e isso me anima ainda mais para poder ler também. Acho que o fato de ter mais maturidade pode ter causado mesmo um certo estranhamento em quem já está acostumado com os livros da autora.

    ResponderExcluir
  9. OI Karini, tudo bem ?
    Então, eu sou fã da autora e de chicklit, mas este livro eu ainda não li, fiquei bem curiosa. Acho a escrita fluída e divertida, o que torna a leitura leve. Sair da zona de conforto é sempre válido, principalmente quando nos leva a refletir.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem Karini?

    A Sophie Kinsella é uma das autoras favoritas da minha namorada, sempre elogia a escrita dela. Eu conhecia o livro por meio da editora, mas nós não recebemos, dessa forma vai ser uma leitura inédita aqui na Saga. Fico contente que tenha gostado da leitura, parece ser um livro divertido e leve.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Oi Ka, tudo bem? Eu acabei nao solicitando esse livro pra editora porque na época tinha outros lançamentos que eu queria haha mas agora to me sentindo culpanda demais, parece ser uma história super fofa, ne? Outra obra que indico da mesma autora, é A procura de Audrey, ela fala sobre transtornos mentais e de um modo bem sério, foi uma leitura bem gostosinha de se fazer.

    ResponderExcluir
  12. O único livro que apenas comecei da Sophie Kinsella foi O Segrego de Emma Corrigan,mas parei. Porém queria experimentar um pouco mais da autora, tantos falam tão bem, e achei a proposta desse livro muito interessante e não posso deixar de me identificar um pouco também. Achei muito bacana como você escreveu de uma forma pessoal. Sucesso nos seus planos, de verdade !!


    depoisdorush.com

    ResponderExcluir
  13. Olá,
    Eu gosto dos livros da Sophie, li muitos, mesmo que tenha menos romance do que este aqui propõe eu ainda me divirto com a escrita dela. Este por algum motivo não me chama tanta a atenção, mas achei legal que mesmo pra você que não lê tantos romances tenha gostado o livro deve valer a pena.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem? Confesso que não sou muito fã de livros chick-lit, porém sei que a Sophie Kinsella é rainha. Que bom que você saiu da sua zona de conforto e mesmo assim gostou. Adorei a sua resenha e acho que adicionarei na minha wishlist <3
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Olá Kah, quando vi que você trouxe uma resenha de chick list vim, correndo para ler porque, assim como você não é o meu genero favorito e, tenho certeza que você dará uma opinião sincera sobre a história. Quando eu era mais nova gostava muito de ler chick list porque, eles são baratos e encontrados em qualquer banca ou mercado da minha cidade, meu critério de escolha sempre foi a capa, quanto mais bonita e chamativa fosse a capa do livro "melhor seria a história"..kkk

    Lendo a sua resenha percebi que essa história não é nada bobinha como eu pensei, todas resenhas dos outros livros dessa autora me pareceram tão fúteis que eu acabei julgando todas as obras dela assim. Como você disse, essa história nos faz pensar:"o que eu quero da minha vida?" ou"o que eu quero no meu futuro" e, eu não acredito que as coisas durem para sempre, acredito que elas durem um tempo.

    Como sempre sua resenha me fez pensar muito e querer ler o livro, mesmo não gostando do gênero e sempre criticando a autora..rs!

    Beijos e Abraços Vivi
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Oi Karina,
    Quando nos colocamos para refletir sobre nossa vida partindo do pressuposto que não teremos muito mais o que viver, acho que é normal sentirmos que tem algo errado ou faltando e eu, sinceramente, gostei muito disso no livro. Gostei da maturidade que ele apresenta e da reflexão que parece deixar.
    Entendo quando você diz que leitores da Sophie estão mais acostumados com livros mais leves e irreverentes, mas não tenho dúvidas que essa será uma ótima leitura para mim.
    Vou anotar a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. 'Mas algumas vezes preciso para desanuviar a mente.' concordo com você, utilizo esse recurso com a literatura infantil e livros mais juvenis. Mas Tem Que Ser Mesmo Para Sempre? não conhecia, é a primeira vez que vejo o livro e gostei da proposta e do título, a capa não é feia, mas inicialmente não chamaria minha atenção olhando rápido numa livraria. Sua resenha é um ponto importante para aguçar minha curiosidade, espero ter oportunidade de ler e gostar ^^

    ResponderExcluir
  19. Olá,

    Também me apaixonei por essa capa, porém até agora não tinha lido nenhuma resenha e não sabia nada sobre a história. Confesso que logo no começo notei que esse livro ia ser diferente dos demais da autora, quando você escreveu que fala sobre os vários tipos de amor, isso já me ganhou, pois adoro ver como as pessoas se comportam diante de um sentimento tão grande e que pode ser bem confuso. Dica mais do que anotada!

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir