Resenha: Querido mundo - Bana Alabed

Editora: BestSeller
Páginas: 160
Ano: 2018
Gênero: Biografia, Autobiografia, Memórias / Não-ficção

Sinopse: O relato surpreendente de uma menina síria em meio aos horrores da guerra. Aos 3 anos de idade, Bana Alabed tinha uma infância feliz que foi interrompida abruptamente por uma guerra civil. Durante os quatro anos seguintes, Bana viveu em meio a bombardeios, destruição e medo.

Sua provação angustiante culminou em um cerco brutal em que ela, seus pais e os dois irmãos mais novos ficaram presos em Aleppo, com pouco acesso a comida, água, medicamentos e outras necessidades básicas. Com o potencial revolucionário da Internet, Bana, em um gesto simples, mas inédito, usou o Twitterpara pedir paz e mobilizar pessoas ao redor do mundo pelo mesmo intuito.

Contendo palavras da própria Bana e cartas comoventes de sua mãe, Fatemah, Querido Mundo não é apenas um relato envolvente de uma família ameaçada pela guerra — o livro oferece, também, uma perspectiva únicasobre uma das maiores crises humanitárias da história, vista pelos olhos de uma criança. Bana perdeu sua melhor amiga, a escola onde estudava e seu lar. Mas não perdeu a esperança — com relação a si mesma e às outras crianças ao redor do mundo, vítimas e refugiadas de guerra que são dignas de vidas melhores.



Olá, hoje estou fugindo um pouco das minhas leituras rotineiras e trouxe um livro bem diferente do que costumo ler, uma biografia e que nos faz pensar "fora da caixinha", ou seja, não apenas em nós mesmos, nosso país, nossos ideais, e sim ter uma visão mais ampla de mundo e seres humanos, assim como uma perspectiva real de uma pessoinha que já "experimentou" muitos horrores. O livro em questão foi escrito por Bana Alabed sobrevivente da "famosa" Guerra na Síria. Essa garotinha me inspirou e me sensibilizou e com certeza é impossível passar indiferente depois de ler sua história.

Ela começou a inspirar em uma postagem nas redes onde ela dizia: "Preciso de paz".

Sua história nos mostra a brutalidade e horror de uma guerra sem fim, mas também a coragem, superação e fé em dias melhores, coisas melhores, momentos melhores!
Paz, deveria ser algo de direito à todos, tudo isso que li e tantas outras coisas que tomamos conhecimento pela mídia em pleno, chega ser algo que as vezes me vinha a mente algo como: "Cara, sério que isso ainda está acontecendo?", "Como pode?" - Mas é uma realidade que ainda que distante da minha, me solidarizo com toda uma população que está sendo massacrada, morta, dizimada.. E a troco de que? Nada, absolutamente nada, pra mim, nada justifica uma guerra! Nunca! Jamais!
Ler sobre o que Bana com tão pouca idade viveu e a forma como ela encarou as coisas certamente me deu uma perspectiva muito mais próxima do que apenas o que a mídia nos mostra quando quer. E realmente no mínimo dá uma sensação de impotência diante a "grandeza" de atrocidades que acontecem por aí. Mas Bana nos incentiva a ajudar de alguma forma, a buscar a empatia (isso tenho de sobra) e tentar achar uma maneira de ajudar aqueles que precisam.

    "...Tentei não me esquecer de nada e contar tudo certinho. Espero que você goste do meu livro. Espero que ele faça com que você tenha vontade de ajudar as pessoas."

Sua história é um choque de realidade para pensarmos e repensarmos e sim, buscarmos uma forma não apenas de sermos melhor todos os dias, mas uma forma de fazer a diferença no mundo em alguma coisa, para alguém.
O livro conta com algumas fotos reais, além de relatos felizes e outros tristes de vidas humanas de pessoas que passaram por algo que eu nunca passei e espero não passar, por algo que ninguém deveria passar.

Bana é uma menina muito astuta, sagaz, sensível e que através de seus twitters pôde não apenas comover milhões de pessoas, mas também trouxe o resgate para sua família e um recomeço, longe do horror da guerra. Em minha humilde opinião, deveria ser leitura obrigatória, para todos, inclusive nossas crianças, que são o futuro das nações e aqueles que podem mudar e muito tantas "culturas" erradas e guerras desnecessárias!

Bana, certamente é um exemplo de esperança e fé que carregarei comigo todos os dias de minha vida, pois uma vez que conheci sua história, tenho certeza que jamais esquecerei e estou  passando adiante, não apenas aqui no blog, mas para outras pessoas nas quais presenteei com um exemplar desse livro!

Querido Mundo, é um pedido de paz, um pedido de socorro, um pedido de fé!

10 comentários

  1. Que livro interessante, ainda não conhecia, porém, acho muito interessante livros em que são narrados por crianças, gostei do que a história se trata, mesmo sendo sobre um assunto de guerra, a criança protagonista nunca perdeu as esperanças para que a guerra acabasse e tudo voltasse a ser tranquilo como antes

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Simplesmente Amei a resenha, meu marido costuma dizer que eu gosto de ler sobre histórias tristes, porque gosto de ler relatos como esse. Não conhecia a obra, mas senti uma emoção muito forte ao ler sua resenha, realmente deve ser um choque, todos nós vivemos e as vezes fechamos nossos olhos para as coisas terriveis que estão acontecendo pelo mundo, com toda certeza vou conferir essa obra em breve.
    Obrigada por compartilhar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi, Karini.
    Eu gosto muito de ler livros como esse e adorei a sua indicação de hoje. Certamente é uma leitura que vai me deixar com o coração na mão, vou chorar muito, vou sofrer, mas é uma história importante a ser lida e gostei de ver a sua opinião sobre a leitura. É um livro com uma mensagem forte e, assim como você falou, que deve ser passada adiante.
    Agradeço pela dica, um livro que adicionei à minha lista de desejados e espero ter a oportunidade de lê-lo em breve.

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Não sabia da existência desse livro, mas fiquei muito interessada em fazer a leitura, pois adoro biografias e essa, sem dúvidas, nos faz refletir sobre a vida e as atrocidades do mundo com muita profundidade.
    Acho que é inimaginável o que Bana passou e deve ser muito doloroso, mas é interessante ver como a fé de dias melhores nunca deixou de existir. Vou anotar a dica, sem dúvidas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. É a primeira resenha que eu leio desse livro e já posso dizer que preciso ler o quanto antes . Mesmo sendo dolorido, gosto de ler sobre guerras nas visão infantil. Elas conseguem explicar de forma fácil e expressar toda dor e mesmo assim mostrar coisas boas. Não conhecia esse, mas já adicionei na minha lista de desejados. Amei a resenha *_*

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  6. Oiii Karini

    Eu tenho um livro com o mesmo tema pendente pra ler, O Diário de Myriam, que tb é uma garotinha de Aleppo na Síria contando os horrores da guerra. Essa situação mexe demais comigo e sempre me envolve muito, por ser um conflito atual e bem chocante. Gostei dessa dica, e vou pesquisar sobre, quero ler com certeza.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  7. Olá, esse é um livro que tenho vontade de ler, joguei o nome da garotinha no Google e vi que ela é super novinha, nem imagino tudo o que ela já passou com tão pouca idade. Realmente, essa deve ser uma leitura que não nos deixa ser a mesma pessoa ao terminá-la.

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Vou ler este livro em breve e espero também receber toda essa mensagem que você recebeu. Acho importante livros assim para termos noção de outras realidades e assim aprender mais.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  9. Olá, é importante lermos obras que fogem às nossas preferências e nos faz pensar, como você disse, fora da caixa. Amei saber que poderei aprende muito com a história de coragem e superação da Bana Alabed e certamente lerei este livro

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  10. Oi, Karini!
    Que angustiante a situação da Bana! Fiquei com o coração apertado ao ler essa resenha, sei que ele me trará às lágrimas. Me parece uma leitura obrigatória, como O diário de Anne Frank.
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir