Resenha: Uma Gota de Sangue - História do Pensamento Racial - Demétrio Magnoli

Editora: Contexto
Páginas: 400
Ano: 2009
 
* Recebido em parceria com a Editora


Sinopse - Há 100 mil anos, poucas dezenas de seres humanos saíram da África. Seus descendentes, adaptando-se aos diferentes climas, desenvolveram inúmeras tonalidades de cor da pele. Um dia, alguns voltaram. Primeiro, como comerciantes, adquiriram cativos escravizados pelos próprios conterrâneos. Depois, como conquistadores, impuseram o poder de suas nações sobre a África, alegando que os primos que ficaram faziam parte de uma raça distinta. A curiosa ideia pegou. Sobreviveu à proclamação dos direitos humanos e à razão científica, difundindo-se no mundo da política. Pessoas de prestígio de todas as cores (até negros!) fingiram acreditar nela - e começaram a passar-se por líderes raciais. Hoje, a pretexto de fazer o bem, traçam-se fronteiras sociais intransponíveis, delineadas com as tintas de uma memória fabricada. Este livro conta a história de um engano de 200 anos: o tempo da invenção, desinvenção e reinvenção do mito da raça. O nosso tempo.




Demétrio Magnoli escreveu uma obra completa que fala de forma detalhada e surpreendente sobre a história do pensamento racial.
O livro é dividido didaticamente em cinco partes: O FARDO DO HOMEM BRANCO, ONE DROP RULE, BACK TO AFRICA, ORIENTE e FÁBRICA DE IDEOLOGIAS.
O livro começa falando da necessidade do ser humano em classificar e categorizar e que isso se aplica a ele mesmo. O autor faz uma trajetória histórica exemplificando inúmeras situações em que isso ocorre e com isso traça o surgimento do termo "raça humana".
Observamos que a própria ciência foi uma grande precursora nessa classificação, determinando que uma raça era superior a outra, mais inteligente, mais capaz e etc (na primeira parte temos a história de Hitler e sua ideologia).

“Os ensaios pioneiros de uma ciência das raças situavam-se num quadro puramente descritivo, que excluía o conceito de evolução. O “racismo científico” propriamente dito nasceu junto com o evolucionismo moderno, na segunda metade do século XIX, quando a polêmica entre monogenistas e poligenistas perdeu interesse” (p. 25-26).

Temos capítulos falando da escravidão, das disputas tribais africanas e dos espólios que os vencedores recebiam, além da discussão de várias políticas raciais mundiais, a segregação e outros temas que impactaram o mundo por conta dessa classificação racial.
Além do contexto mundial, o autor também apresenta a abordagem nacional sobre a política racial, falando de governos e a conduta social sobre o tema.
É um livro muito interessante de se ler, que foi embasado em vários outros estudos e exemplos que aconteceram durante toda a existência humana.

10 comentários

  1. Olá!
    Parece realmente uma leitura enriquecedora e muito boa principalmente para levantar debates e estudo de casos. Em alguns pontos fiquei com uma impressão de ser uma leitura mais técnica e mesmo não sendo o tipo de obra que costume dar preferência, é nítido que esses temas nunca sairão de moda, não só pelo cenário político que vivemos, mas para entendimento de toda a humanidade.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  2. Oi, Carol.
    Esse livro parece ser bem interessante.
    Adoro esse tipo de desenvolvimento de ideia.
    Vou procurar mais sobre ele!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  3. Oi Carol, tudo bem? Acho esse tipo de leitura muito necessária para que possamos compreender como esse recorte racial ainda nos afeta nos dias de hoje, não conhecia o título mas já adicionei em minha lista de desejados!

    ResponderExcluir
  4. Oi Carolina, sua linda, tudo bem?
    Eu já vi um filme falando sobre essas guerras tribais na África e e fiquei assustada ao descobrir que eles mesmo se escravizam. No fim, acho que tudo no mundo pode ser resumido ao mais forte querendo subjugar o mais fraco. Parece ser um livro muito bom. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Carol! Esse livro parece bem bacana para entender melhor o contexto da escravidão como um todo. Não é um tipo de livro que eu leria sem ter uma indicação como a sua, gostei bastante.
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livor e achei a ideia dele muito interessante, gostei de conhecer um pouco sobre ele através da tua resenha e fiquei bem curiosa para poder realizar a leitura também e saber o trabalho do autor em pesquisar e embasar a sua obra só me deixa ainda mais interessada. Achei a capa maravilhosa.

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Esse livro parece muito bom, apesar da temática bem pesada, mas é uma leitura válida e que todos deveriam ser obrigados a ler! De verdade, é muito necessário, porque as pessoas pensam que a escravidão nunca existiu e é um draminha fictício histórico. Gostei da dica, obrigada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Carolina,
    nunca tinha pensado nisso antes, em como surgiu essa classificação de raças e em quem determinou que que uma é superior a outra e saber que isso partiu da própria ciência é desolador. Parece ser um livro muito interessante.
    bjs.
    Pri.
    https://nastuaspaginas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Olá, me parece ser um livro com um conteúdo bem rico pela sua resenha, uma obra que com certeza trará reflexões bem valiosas ao leitor. Como faz tempo que não leio não-ficção, vou colocar esse livro nos desejados para ler quando puder.

    ResponderExcluir
  10. Oi Carol,
    Normalmente não curto esse estilo de livro, mas fiquei muito curiosa para ler esse livro, pois ele tem uma proposta incrível. Quando li, no começo, que o autor fala da nossa necessidade de categorizar as coisas, me vi ali descrita.
    É um livro que parece ser bem completo e reflexivo, então, claro, vou anotar a dica!
    Beijos

    ResponderExcluir