Resenha: Eu e Esse Meu Coração - C.C. Hunter

Editora: Jangada
Páginas: 424
Ano: 2018
Gênero: Ficção / Jovem adulto / Literatura Estrangeira / Romance / Suspense e Mistério

* Recebido em Parceria com a Editora


Sinopse: Leah MacKenzie, de 17 anos, não tem coração. O que a mantém viva é um coração artificial que ela carrega dentro de uma mochila. Com seu tipo sanguíneo raro, um transplante é como um sonho distante. Conformada, ela tenta se esquecer de que está com os dias contados, criando uma lista de “coisas para fazer antes de morrer”. De repente, Leah recebe uma segunda chance: há um coração disponível! O problema é quando ela descobre que o doador é um garoto da sua escola – e que supostamente se matou! Matt, o irmão gêmeo do doador, se recusa a acreditar que Eric se suicidou. Quando Leah o procura, eles descobrem que ambos têm sonhos semelhantes que podem ter pistas do que realmente aconteceu a Eric. Enquanto tentam desvendar esse mistério, Matt e Leah se apaixonam e não querem correr o risco de perder um ao outro. Mas nem a vida nem um coração transplantado vem com garantias.


"Eu e esse meu coração" possui uma sinopse bem explicativa. Leah é uma jovem de 17 anos de idade, que está vivendo um dia de cada vez. Após um vírus ter causado miocardite, Leah sobrevive graças a um coração artificial, uma "bomba" que está acoplada a uma mochila e que mantêm os seus órgãos funcionando. Ela sabe que esse coração artificial tem prazo de validade, mas continua com um sorriso no rosto para aliviar o coração dos pais e de sua melhor amiga, Brandy.
Leah vive isolada em casa, pois se acha uma aberração carregando a mochila e tendo um tubo saindo do seu corpo. Ela estuda em casa e com exceção de Brandy e seus pais e sua professora, não tem contato com mais ninguém. Um dia, sua professora não pode comparecer e oferece pontos extras para Matt.
"... No começo ficava dizendo a mim mesma que tinha que ter esperança, que conseguiria um coração. Mas quanto mais leio sobre as estatísticas, mais percebo que as chances de eu conseguir um coração são praticamente nulas. E em vez de me enganar ou ficar andando por aí com cara de coitada, decidi aproveitar ao máximo o tempo que me resta. Por isso, elaborei a lista de coisas a fazer antes de morrer." (p. 22)
Matt é um dos populares da escola. Ele e o seu gêmeo Eric são atletas e seu grupo é formado por líderes de torcida e jogadores. Só que Matt tem uma quedinha pela fundadora do clube do livro da escola, mas nunca teve coragem de conversar com ela. E a garota ficou doente. E saiu da escola para estudar em casa...
Infelizmente, a vida doméstica d e Matt e Eric está passando por tempos sombrios. O pai dos garotos é militar e faleceu em uma missão. Sua mãe ficou devastada e passa o dia em uma névoa de tristeza e passa o maior tempo possível na cama. Então os gêmeos começam a assumir algumas responsabilidades. E vão sofrendo por dentro, e apenas a ligação especial que os dois possuem é capaz de amenizar a dor. Um sempre sabe quando o outro está sofrendo e em uma noite, Eric saí para se encontrar com a ex-namorada e é encontrado morto na mata. Com a arma do pai nas mãos. A polícia e todos os amigos acreditam em suicídio, mas Matt sabe que não é verdade. Ele sentiu quando Eric morreu e sentiu o seu medo. Algo aconteceu...
Leah recebeu uma nova chance e apesar de estar feliz por isso, ao mesmo tempo sabe que alguém morreu e doou o coração. Lidando com esse dilema, seu cotidiano vai mudar completamente quando começa a sonhar que está sendo perseguida na floresta. Mas não é ela quem está correndo. É Eric, o gêmeo de Matt. Mas isso é impossível, não é?
Os capítulos alternam em primeira e terceira pessoa, de acordo com a perspectiva do personagem. Quando é Leah quem conta a história, temos uma visão mais intimista. Leah é fofa, inteligente e apaixonada pela vida, mesmo achando que estava conformada com o seu destino. É fã de pantufas e livros e é o exemplo de boa filha, amiga e pessoa. Mesmo passando por uma situação muito difícil, Leah faz de tudo para manter o sorriso no rosto dos pais, para dar esperança a eles e fazê-los feliz. A relação entre ela é sua mãe é bonita e triste ao mesmo tempo. Ao ver sua filha quase morrer e estar em um estado crítico por tanto tempo, a mãe torna-se um pouco obsessiva e assustada com tudo o que acontece com Leah, mas é compreensível. Ela largou o emprego e dedica-se integralmente a filha e está constantemente amedrontada.
Matt é o típico cara legal. Sua popularidade não influencia em nada a sua personalidade e ele faz o tipo quieto, pensativo e carinhoso. Após a morte do pai precisou carregar o fardo de aliviar a dor da mãe e do irmão, mas quando Eric se vai, ele sente-se sem chão. Afinal, quem irá carregar a sua dor? Matt começa a se afastar de todos, principalmente por que todos acreditam na teoria do suicídio, o que o deixa bravo. Sua busca pela verdade torna-se o objetivo da sua vida e quando Leah junta-se a ele nessa busca, Matt sente-se aliviado por ter um aliado.
A interação entre os protagonistas é muito bonita. Vemos uma grande tragédia aproximá-los, mas é mais do que isso. Eles possuem uma conexão emocional e também possuem um jeito doce que é fofo de se ler.
A trama tem suspense, uma pitada de algo inexplicável e uma história arrebatadora. Vale mencionar que esse livro é algo muito pessoal para a autora, que menciona o fato do próprio marido ter precisado de um transplante de rim e como essa situação foi difícil para os dois e seus familiares. Ela também homenageia os médicos que auxiliaram o marido com uma médica incrível no livro! 
"Não, não é só o novo coração. Sou eu. Eu mudei. Não tenho mais certeza de quem sou. Não tenho certeza se posso voltar a ser a Antiga Leah. E quem é essa Nova Leah? Isso é um grande mistério." (p. 91)

2 comentários

  1. Oi Carol!
    Nunca li nada dessa autora, mas gosto dessa capa e da premissa. Pela sua resenha, fiquei com vontade de conhecer esses personagens!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Achei interessante a premissa da história, a tua resenha tá bem construída e isso faz a gente querer ler mesmo o livro, eu achei a capa MUITO LINDA

    ResponderExcluir