Resenha: Sob a Luz da Escuridão - Ana Beatriz Brandão - Verus

Editora: Record
Autor (a): Ana Beatriz Brandão
Páginas: 336
Ano: 2018
Gênero: Fantasia / Ficção / Literatura Brasileira / Romance
Onde Comprar: Amazon 
 
* Recebido de Parceria*
Sinopse: O mundo não está a salvo dos humanos. Da autora de O Garoto do Cachecol Vermelho.

Guerras e destruição, causadas pela ganância de um homem, quase levaram a raça humana à extinção. Com a radiação das bombas nucleares, o DNA humano sofreu mutações e uma nova espécie surgiu: os metacromos, seres especiais, com poderes extraordinários. Em meio ao caos de um mundo pós-apocalíptico, Lollipop e Jazz são resgatadas do instituto onde eram mantidas prisioneiras. Com as memórias apagadas, elas não sabem por que estavam ali nem quem as libertou.

E, enquanto buscam respostas sobre suas origens, só lhes resta lutar pela sobrevivência. Evan, um vampiro milenar, lidera com mãos de ferro uma das mais poderosas áreas do planeta. Mas quando, por obra do destino, ele reencontra a mulher que pensou estar morta há décadas, tudo desmorona e ele é obrigado a enfrentar o passado.

Ana Beatriz Brandão apresenta um mundo totalmente novo ao leitor em Sob a Luz da Escuridão. A raça humana não é mais a mesma, novas espécies foram criadas e agora é cada um por si. Uma história eletrizante, cheia de ação, tensão e romance, que vai provocar fortes emoções no leitor. Prepare-se e escolha seu lado nessa guerra: você é um metacromo ou um Deles?



Bom dia meus queridos, como estão?
A resenha de hoje é de mais uma nacional, acho que ando me superando na leitura dos nacionais esse ano!

O livro é de Beatriz Brandão, já conhecida na blogosfera e veio lançado pela Editora Verus.
Bora conferir?

Está história nos trás uma fantasia que eu poderia até relacionar um pouco ao gênero distópico, pois se trata de um mundo absolutamente devastado por guerras em decorrência de poder, ganância, arrogância, despeito, entre outros. Tudo isso vemos na raça humana nos dias antigos e atuais.  Então o que restou desse mundo não chega nem a um vislumbre do que já foi um dia; boa parte da população destruído e deixou de existir e a outra parte sobrevivente, literalmente sobrevive em meio ao caos e a brutalidade, em meio aos destroços do que antes foi um mundo bom e normal. Sem contar que de maneira inumana, vão sobrevivendo como dá. E agora imagem despertar nesse mundo? A jovem Lollipop acordou em um laboratório ou instalação estranha, sem memória de qualquer dessas coisas mencionadas, ela sequer sabe quem ela é.

Em dado momento Lollipop foge e o que encontra no exterior das instalações é ainda pior do que qualquer coisa que ela pudesse imaginar. Ela não tem noção do que fazer em seguida, onde ir, a quem recorrer, o que está acontecendo; ela vê um veículo com desconhecidos e resolve tentar a sorte ali, com um motorista e um carona jovem como ela e que ela não faz a menor ideia de quem são.. Apenas tem uma vaga ideia de que fugiram das mesmas instalações estranhas em que ela despertou. 

Vida segue e após dois anos Lollipop ainda está tentando entender o mundo ao seu redor e ainda sem qualquer memória de quem ela é de verdade ou do que aconteceu. Chris, o homem quem a tirou daquele lugar ao qual despertou disse que eles estão vivendo em um mundo pós-apocalíptico, tendo sofrido quatro Guerras Mundiais e que tudo teve início quando elegeram a pessoa errada para o poder. Essa foi a ponta do iceberg que levou a destruição de grande parte da população e a todo caos e brutalidade que estão enfrentando. Além disso, houve grande exposição a radiação de armas nucleares, o que deu início a mudança do DNA ou código genético humano, transformando pessoas que eram apenas humanos, em mutantes, com poderes ou dons inexistentes antes. 

Obviamente que essas pessoas com mudanças cromossômicas não são bem vistas e obviamente que estão sendo caçadas pelos quatro cantos. Essas pessoas são conhecidas como Metacromos, e estão resistindo como podem, em meio ao caos, brutalidade, sem leis ou regras, humanos e metacromos travam uma luta constante por sobrevivência e outras coisinhas mais.. Todos querem sobreviver, custe o que custar!

Bom.. Essa é a premissa do novo livro de Beatriz Brandão e achei ela bastante ousada em sua premissa e muito feliz, pois o enredo foi bem desenvolvido e ambientado. Eu curti cada página lida e quanto mais eu avançava, mais curiosa eu ficava e queria saber o que aconteceria. 
Lollipop, como eu disse, acordou sem memória, sem saber sequer quem ela é, e esse nome, ela mesma se deu, para que pudesse se reconhecer ou recomeçar. Chris, o cara que salvou Lollipop de certa maneira se sente responsável por manter sua segurança, assim como a de Jazz, outra personagem que também foi salva ao mesmo tempo que nossa querida Lollipop. Juntos, eles são como família, se apoiando e cuidando uns dos outros. Eles conseguem se virar bem nesses anos passados após escaparem das instalações, mas tanto Lollipop, quanto Jazz, são Metacromos e isso quer dizer que elas estão sendo caçadas e precisam estar sempre vigilantes. Em dado momento, o local onde vivem deixa de ser seguro. Chris fica para trás para que as meninas possam ter chance de fugir e com isso Lollipop e Jazz, irão enfrentar novos desafios e situações arriscadas. Agora Lolli, é a responsável pelos cuidados de Jazz, que é bem  mais nova que ela, mas elas não conseguem fugir por muito tempo e acabam sendo capturadas. E aí coisas novas surgem, um novo lugar, diferente de tudo que elas viram até ali, uma região onde as pessoas vivem de certa maneira bem, com certa infraestrutura e meios, que outras áreas não possuem. 

Lolli, terá de lidar com um vampiro que parece ser o "chefão" daquela área e quando o encontro acontece conhecemos um vampiro e tanto em vários sentidos. E parece que ele conhece Lolli do passado, e aí muito mais coisas irão acontecer. 

Sob a Luz da Escuridão é um duologia, com sua história contada de maneira intercalada pelos personagens, uma coisa que eu curto muito em histórias como essa. 
O livro foi executado com maestria e só me resta dizer que eu fiquei muito feliz em conhecer essa história e já curiosa pela segunda parte. Apesar de não ter visto tanta fantasia como imaginei, como menciono no começo, mas me parece uma distopia do que fantasia, porém com algumas introduções de seres geneticamente modificados por conta da radiação e esse vampiro.. Entre outros.. Além de tudo que eu mencionei a história ainda é recheada de humor e isso faz toda a diferença!

Recomendo.



16 comentários

  1. A premissa é atualíssima. Acredito que seja um ouro nacional, eu to começando a ler mais e mais obras nacionais, dar um pouco mais de valor ao que temos aqui né?! acho que esse livro não deve falhar em me encantar, obrigada pela resenha, adicionei o livro na minha lista <3

    ResponderExcluir
  2. Nunca li nada da autora, mas acompanho ela nas redes sociais e com cada post dela fico ainda mais curiosa para conhecer seus livros.
    Vejo muitos comentários positivos nesse livro e a minha curiosade só aumenta.
    Amo literatura nacional, mais um motivo por eu ter curiosidade nas suas obras.
    Adorei conhecer sua opinião sobre o livro, beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oiii Kari

    Não sabia que era uma dualogia, mas achei ótimo porque a história não enrola como em séries mais largas, além disso o fato de estar intercalado na narrativa tb certamente deixa a trama mais interessante. Nunca havia me interessado em ler nada da autora porque os livros anteriores dela eram todos romance, um gênero que não me empolga tanto, mas este tem uma pegada bem diferente e é mais o estilo que curto, vou anotar a dica.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu acompanhei o lançamento desse livro, gosto muito das capas dos livros dessa autora, mas ainda não tive a oportunidade de lê-lo.
    É raro eu ler tramas que envolvem guerras, destruição e futuro da humanidade, mas essa premissa sem dúvidas despertou a minha curiosidade. Gostei muito de saber que você gostou da história que é bem escrita. Já está na minha lista*-*
    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Eu conheci a autora na Bienal de SP mas confesso que não é bem os tipos de livros que eu goste de ler, então esse livro dificilmente eu lerei, mas de qualquer forma eu gostei de conferir sua resenha e sua opinião sincera sobre ele, parabéns.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. O que você gostou no livro eu detestei, que foram as narrações intercaladas achei bem desnecessário, não foi bem utilizado e eu não via muita diferença entre quem estava narrando, se o nome não tivesse em cima de cada capítulo eu não saberia dizer quem era quem. Creio que a narrativa seria melhor aproveitada em terceira pessoa mesmo.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  7. Olá. Não conheço a Beatriz Brandão, mas achei bastante curioso o título, a história e a pegada de humor que você disse conter, me cativaram, vou colocar essa duologia em minha meta de leitura. sobre ser fantasia ou distopia, alguns livros são assim mesmo, a gente precisa pensar no gênero predominante. Goste também de sua resenha, objetiva, direta.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Karini.
    Adorei ver a sua opinião sobre o livro da Ana, eu gosto muito da autora e acompanho o trabalho dela há muito tempo já. Eu não costumo me interessar por distopias, mas qualquer coisa que a Ana escreva eu me interesso e adorei esse livro. Os próximos volumes estão ainda melhores e muitas revelações ainda vão surgir, espero que você possa continuar acompanhando e que os livros te agradem tanto quanto me agradaram.

    ResponderExcluir
  9. Que legal! Amo fantasias, e essa parece super completa! Gostei bastante, vou adicionar a minha lista de leitura. Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    A escrita da Beatriz é muito gostosa, mas não sabia que se tratava de uma duologia, como é um gênero que não domino muito, vou aguardar sair o segundo volume, assim leio em uma tacada só e não me perco na cronologia dos acontecimentos.
    Mas já criei boas expectativas em relação aos personagens, sua resenha está muito convidativa.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  11. Ainda quero ler O garoto do cachecol vermelho da Beatriz e pelo visto ela manda bem, aina mais com essa premissa tão distante da do livro anterior.
    A batalha entre os humanos e os metacromos é no minimo instigante, enquanto Lollipop e Jazz são personagens bem curiosos. Uma duologia que sem dúvida eu quero conferir, ainda mais por saber que a autora soube levar a história com maestria.

    Abraços
    https://acabinedeleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oie!
    Esse reino distopico onde quatro guerras aconteceram depois de elegerem a pessoa errada para o poder é MUITO parecido com o que vivemos agora, tantos líderes extremistas por aí. Adoro histórias assim, e com certeza leria esse livro se tivesse a chance. Amei sua resenha!!

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bom?
    Então, acho que não seria um livro para mim, por não curtir muito fantasias e distopias, no entanto, eu não posso deixar de comentar sobre essa premissa super interessante, que pareceu funcionar super bem, pelo que li da sua resenha, ainda que tenha puxado mais para distopia que fantasia. Espero que o próximo volume te agrade ainda mais e que vários fãs do gênero possam conferir essa história, que parece ser uma ótima pedida para os fãs do gênero.
    Ótima resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Nunca li nada da autora e me desanima um pouco não ser um livro único. Mas vou anotar a dica e conferir assim que possível. Nunca li muita coisa com vampiros e acho que vou gostar deste universo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Adorei essa resenha e agora desejo demais esse livro primeiro porque a história é do meu estilo preferido e depois que li a resenha, minha curiosidade se aguçou mais ainda. Anotei a dica na minha lista.

    ResponderExcluir
  16. Oi, Karini! Não conhecia a história, pela sua resenha, parece o tipo de livro que você não larga por nada! rsrs
    Por algum motivo, a sinopse não me atraiu, mas se tiver oportunidade, quero ler - e espero gostar da mesma forma que vc.
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir