Resenha: Os Números do Amor - The Kiss Quotient #1 - Helen Hoang

Editora: Paralela
Série: The Kiss Quotient #1
Páginas: 280
Ano: 2018
Gênero: Chick-lit / Ficção / Literatura Estrangeira / Romance

*Acervo pessoal*


Resenhista convidada
Andynha

Sinopse: Um romance que prova que o amor muitas vezes supera a lógica.

Já passou da hora de Stella se casar e constituir família — pelo menos é isso que sua mãe acha. Mas se relacionar com o sexo oposto não é nada fácil para ela: talentosa e bem-sucedida, a econometrista é portadora de Asperger, um transtorno do espectro autista caracterizado por dificuldades nas relações sociais. Se para ela a análise de dados é uma tarefa simples, lidar com os embaraços que uma interação cara a cara podem trazer parece uma missão impossível. Diante desse impasse, Stella bola um plano bem inusitado: contratar um acompanhante para ensiná-la a ser uma boa namorada.

Enfrentando uma pilha cada vez maior de contas, Michael Phan usa seu charme e sua aparência para conseguir um dinheiro extra. O acompanhante de luxo tem uma regra que segue à risca: nada de clientes reincidentes. Mas ele se rende à tentação de quebrá-la quando Stella entra em sua vida com uma proposta nada convencional.

Quanto mais tempo passam juntos, mais Michael se encanta com a mente brilhante de Stella. E ela, pela primeira vez, vai se sentir impelida a sair de sua zona de conforto para descobrir a equação do amor.



“Sei que você odeia surpresas, Stella.”
Uma história que não dei absolutamente nada por ela e curti bastante. Apesar de simples e leve, ela levanta uma discussão interessante sobre como as pessoas que tem diversos tipos de distúrbios e fobias se relacionam (ou se elas podem ou não se relacionar).


Ao mesmo tempo que estava lendo este livro vi o seriado – ATYPICAL (que tem na Netflix e inclusive já saiu a 2ª temporada, num outro post falo mais dele) e foi bacana fazer esse link, pois neste livro a protagonista tem Síndrome de Asperger, cujo um dos maiores problemas é a dificuldade no traquejo social.


Levada por essa dificuldade social, apesar de ser muito inteligente e pela pressão da mãe, Stella acha que precisa de um acompanhante sexual para ensinar os paranauês da coisa (não apenas do sexo, mas para entender como um relacionamento funciona). E nesse momento eis que aparece Michel, um cara amorzinho, que entende Stella além da síndrome e tenta vai mostrando aos poucos como essa coisa de interação social funciona.


O livro tem ótimos momentos, Stella é preto no branco e isso, claro que resulta momentos engraçados para nós, porque sabemos as pequenas sutilezas que faltam na nossa personagem, mas por outro lado, temos uma personagem tão forte, simpática, inteligente e prafrentex mesmo com condições ‘adversas’. Ela é prática e tenta dar um jeito na sua vida.


Como dito, a leitura é leve, tem uns momentos clichês, mas curti a maneira que foi tratado uma síndrome e pelo menos para mim abriu a mente para enxergarmos as diferentes pessoas que compõem nossa sociedade. Principalmente porque acredito que não é fácil lhe dar com isso e escrever sobre sem que vire um livro médico (passa longe disso), mas a autora nos mostrou uma ótica diferente e curti muito o que li.


Com personagens carismáticos, uma boa dose de confusão e divergências e claro, um romance super fofo, não tem como não morrer de amores por ‘Os Números do Amor’, uma ótima história que traz um conteúdo interessante.

Andynha






Nenhum comentário