Resenha: A Pequena Caixa de Gwendy - Stephen King & Richard Chizmar

Editora: Suma de Letras
Páginas: 168
Ano: 2018
Gênero: Fantasia / Ficção / Horror / Literatura Estrangeira / Suspense e Mistério 

*acervo pessoal*

Sinopse: A pequena cidade de Castle Rock testemunhou alguns eventos estranhos ao longo dos anos, mas existe uma história que nunca foi contada... até agora.

Viaje de volta a Castle Rock nesta história eletrizante de Stephen King, o mestre do terror, e Richard Chizmar, autor premiado de A Long December. O universo misterioso e assustador dessa pacata cidadezinha do Maine já foi cenário de outros clássicos de King, como Cujo e A zona morta, e deu origem à série de TV da Hulu.

Há três caminhos para subir até Castle View a partir da cidade de Castle Rock: pela rodovia 117, pela Estrada Pleasant e pela Escada Suicida. Em todos os dias do verão de 1974, Gwendy Peterson, de doze anos, vai pela escada, que fica presa por parafusos de ferro fortes (ainda que enferrujados pelo tempo) e sobe em ziguezague pela encosta do penhasco.

Certo dia, um estranho a chama do alto: “Ei, garota. Vem aqui um pouco. A gente precisa conversar, você e eu”. Em um banco na sombra, perto do caminho de cascalho que leva da escada até o Parque Recreativo de Castle View, há um homem de calça jeans preta, casaco preto e uma camisa branca desabotoada no alto. Na cabeça tem um chapeuzinho preto arrumado.
Vai chegar um dia em que Gwendy terá pesadelos com isso.


Olá meus lindos, todos vocês já devem saber o quanto eu amo a escrita e desenvoltura do mestre King, com isso não poderia deixar de conferir A Pequena Caixa de Gwendy.

Gwendy é uma menina de apenas de apenas doze anos e quando digo isso, pense em uma menina mesmo, mais inocente e desprovida de malícia como nos dias atuais, que meninas dessa idades são bem espertas e consideradas adolescentes. Apesar disso, de sua inocência, ela é muito intuitiva, e perspicaz. Ela está acima do peso e com isso é zoada na escola, Frankie Stone exerce um papel forte nisso, pois foi ele quem a apelidou de Goodyear, fazendo referência a um dirigível. Como Gwendy é uma menina muito insistente em seus objetivos, ela resolve que não mais quer ser conhecida por apelidos depreciativos ou zoada, com isso, todos os dias ela sobre a Escadaria Suicida, todos os dias mesmo. Claro que como todas as pessoas que são sedentárias e começam qualquer atividade física, ela no início se sentia muito cansada, mas pouco a pouco ela foi vendo um resultado em seu condicionamento e seu físico e isso apenas a motiva a continuar mais e mais.

Porém em um dia como qualquer outro, Gwendy se depara com Richard Farris, sempre sentado em um banco próximo e parecendo bastante ciente da presença da menina. Ela o notou diversas vezes. Mas ele sempre se mantinha na dele e ela prosseguia com suas atividades. Ele sempre carregava consigo um chapéu e um livro e parecia observar com cautela, porém em dado momento ele chama Gwendy para se sentar, ainda que a jovem tenha ciência que não se deve falar com estranhos e fique apreensiva com a aproximação, ela acaba cedendo um pouco. O homem pode ser bastante convincente e com isso ele inspira nela a confiança de que está segura. De cara ele diz o que já sabíamos, que vem observando a jovem faz um tempo e parece que sabe mais dela do que ela poderia imaginar.Conversa vai, conversa vem e ele resolve oferecer a ela uma caixa de botões, apesar de eu achar isso bizarro, Gwendy fica completamente atraída pela oferta, algo naquela caixa chama por ela, como se um pertencesse ao outro.

Sr. Farris lhe diz que os botões são absolutamente difíceis de se apertar o que ele justifica como algo bom, já que apertar acidentalmente não era uma opção boa, pelo que ele dá a entender. Na parte superior da caixa, tem um botão para cada continente e nas laterais da tal caixa existem alavancas. Ele partilha com ela um pouco do seu conhecimento a respeito do objeto e mostra as maravilhas que as alavancas podem realizar; parece que uma das alavancas libera um chocolate em formato de animal e que tal chocolate a deixará muito satisfeita, evitando assim que ela exagere na comida do dia a dia, como repetir um prato ou mesmo sentir desejo por uma sobremesa. A outra alavanca libera uma valiosa moeda de prata.

De repente o homem se vê impaciente para partir, pois seu tempo se esgotou, então por fim, ele lhe informa que o botão vermelho lhe concede o desejo que quiser e que esse botão é o único que poderá ser usado várias vezes; e pronto, o homem vai embora tão misteriosamente quanto surgiu. Uma recomendação importante lhe foi passada; a caixa deveria permanecer secreta, sem que ninguém além de Gwendy tivesse conhecimento sobre ela, pois poderiam fazer-lhe perguntas que ela não saberia responder.

Ao ser deixada sozinha com a tal caixa misteriosa é claro que Gwendy fica curiosa quanto aos botões e o que eles poderiam vir a fazer.. O único botão que aparentemente não representa um perigo seria o botão vermelho e é justamente o que ela aperta, apenas para sentir-se arrependida pelo resto de sua vida. Os anos vão se passando e Gwendy gostaria muito de não estar em pose da tal caixa. O que a caixa lhe proporciona talvez tenha um custo muito alto.

Mais uma vez com maestria o mestre King nos trás um enredo para lá de envolvente e cheio de enigmas para o leitor desvendar.. É uma surpresa atrás da outra, fora o poder que o autor tem em mexer com a nossa mente.


Amei o livro!

22 comentários

  1. Gostei bastante da sua resenha, meus parabéns, sério, mas confesso que não é uma leitura que me chame a atenção, o gênero no caso. Mas gostei de conferir suas impressões sobre ele, é sempre bom ver outros títulos fora da caixinha né? rs

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karini!
      So li 3 livros do King, e adorei a escrita dele. Porém confesso que muitos dos aclamados títulos, eu não conseguiria ler. Sou super medrosa quanto ao gênero terror.
      Gostei da capa e fiquei super curiosa com tua resenha sobre A Pequena Caixa de Gwendy e vou anotar a dica.
      Beijos

      Excluir
    2. Espero que leia Karine, é diferente dos demais. Então não eé bem um livro para se ter medo. Tem uma pegada bem diferente dos que consagraram o autor.

      Mércia, espero que consiga ler esse. É muito bom é diferente.
      Acho que vai agradar muita gente.
      Beijos meninas.

      Excluir
  2. Olá!
    Essa parceria com o King deve estar espetacular. Um enredo diferente mas sem perder suas características. Fiquei muito interessada em conferir essa leitura.
    A capa está linda e ver que a leitura te agradou me deixou curiosa para saber os mistérios desvendados por Gwendy.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem uma pegada bem diferente esse livro e não perdeu aquele toque especial, se é que me entende.
      Espero que consiga ler logo. Beijos.

      Excluir
  3. Olá, tudo bem? Só tive a oportunidade de ler um livro do Stephen King até agora, e gostei bastante da leitura. Quando vi esse lançamento fiquei doida para ler, e tua resenha só aumentou minha curiosidade. Adorei!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que leia esse Larissa, tem uma pegada bem diferente de tantos outros livros do autor. Que bom que minha resenha te animou. Beijos.

      Excluir
  4. Ola!
    King arrasa demais mesmo, e eu ja estou louca pra ler este livro. Conhecendo as histórias do King, com certeza coisas terríveis acontecem com Gwendy, depois de pegar esta caixa. Fora que esta capa também é maravilhosa! Adorei a resenha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que leia logo e que possamos conversar sobre a historia.
      Beijos.

      Excluir
  5. Oi Karini,
    Quando vi que esse livro ia ser lançado, senti um pouco de vontade de ler, mas fui deixando de lado. Confesso que sua resenha reascendeu meu desejo de ler esse livro, pois o livro parece ser realmente bom.
    Estou louca de curiosidade para conhecer a história de Gwendy e como tudo se desenvolve. Vou comprar o livro, sem dúvidas.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que leia. Esse tem uma pegada bem diferente que acredito que vai agradar muitos leitores iniciantes do King ou que não curte tanto o gênero.
      Beijos.

      Excluir
  6. Oi Karini. Tudo bem?
    Eu li esse livro recentemente e adorei a leitura, achei muito diferente dos demais livros do King que são sempre tão sangrentos hahaha mas achei a ideia sensacional e o desenvolvimento muito bom, fiquei curiosa o livro todo para saber o que ia acontecer com a menina e com a caixa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Bea, ele teve essa pegada diferente. Mas tem alguns outros livros dele que ele foi mais assim, trabalhando a psique humana, as escolhas r consequências de atos e com um "Q" sombrio.
      Fico contente que tenha gostado da leitura.
      Beijos.

      Excluir
  7. oii tudo bem ?
    adorei a resenha e estou bem curiosa com esse livro confesso que nunca li nada do King mas só escultei elogio desse livro e com isso fiquei mais curiosa em ler ele acabou entrando pra meta de 2019 :)

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que leia e curta. Eu sou suspeita, por curtir demais a pegada dele.
      Mas acho que vale a pena de verdade. Beijos.

      Excluir
  8. Olá,
    É a segunda resenha desse livro que eu leio e estou bem curiosa com a caixa e o arrependimento da menina ao apertar o botão vermelho não gosto de nada relacionado ao terror mais esse livro chama bastante a minha atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O terror do King é mais psicológico na maioria das vezes... E daqueles que dá aquela agonia e vontade de entrar nas páginas para ajudar sabe?!
      Mas em geral, curto a genialidade dele em desenvolver esse lance da psique humana.

      Excluir
  9. Oi Ka, tudo bem?
    A unica coisa que li do King foi sobre a escrita, apesar dele ser um autor muito renomado eu infelizmente nao me dou bem com o genero, mas deixando de lado isso, sua resenha ficou maravilhosa e essa capa é linda demais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Super te entendo. O gênero dele e escrita é bem intrínseco e não agrada a todos. É tipo ou ama ou odeia.
      Mas esse livro em especial senti uma pegada diferente. Talvez você achasse interessante. Beijos.

      Excluir
  10. Oii

    Se eu falar que nunca na vida li nada do King, voce acredita? Eu tenho um medo da sua escrita que voce nao tem ideia, mas mesmo assim, ainda tenho muita curiosidade em conhece-la.

    Anotei a sua dica, pois esse livro nao parece ser tão pesado ou assustador quanto aos outros.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá Karina, eu não conhecia esse livro, mas pelos seus comentários o enredo parece estar bem bacana e por se tratar do King deve ser uma leitura muito boa *-* Dica anotada.

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bem? Ah que legal! Nunca li nada do King, porém com esse livro me senti instigada a começar. Sua resenha está ótima e ela me deixou curiosa do que posso esperar. Adorei!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir