Resenha: Um Pequeno Favor - Darcey Bell

Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 336
Ano: 2018
Gênero: Ficção / Literatura Estrangeira / Suspense e Mistério 

*recebido em parceria*

Sinopse: Livro apontado como sucessor de Garota Exemplar e A Garota No Trem, “Um Pequeno Favor” inclui traições e reviravoltas, uma pessoa morta e a questão recorrente: quem está enganando quem?

Quando sua melhor amiga, Emily, pede a Stephanie para buscar seu filho Nicky na escola, ela alegremente concorda. Nicky e seu filho, Miles são melhores amigos — exatamente como ela e Emily. Mas Emily não volta. Ela não atende ao telefone ou responde às mensagens. Stephanie sabe que algo está terrivelmente errado. Aterrorizada, ela busca ajuda nos leitores do seu blog. Até que ela e Sean, marido de Emily, recebem notícias chocantes: Emily está morta. O pesadelo de seu desaparecimento finalmente chegou ao fim. Ou será que não?

 

"Minha mãe costumava dizer que todos guardamos segredos. Por isso é que nunca é possível conhecer alguém de verdade. Ou confiar em alguém. E é por isso que nunca é possível conhecer a si mesmo de verdade. As vezes guardamos segredos até de nós mesmos."
Em Um Pequeno Favor conhecemos Stephanie blogueira e mãe, moradora do subúrbio, porém uma pessoa solitária; perdeu pessoas queridas e ao conhecer Emily, que também é mãe e o filho dela amigo do filho de Stephanie; a partir daí cria-se um grande laço de amizade e tudo parece melhor que antes, como se sentia com a perda do marido e irmão. Sua mais nova amiga parece se encaixar perfeitamente em sua vida e rotina e além disso parece a pessoa perfeita que a entende como ninguém antes poderia.

    "Mais tarde, descobri que minha mãe falava por experiência própria. E me pergunto se ela estaria  me programando para ser reservada e desconfiada. Teria ela pressentido que, quando eu crescesse, guardaria segredos mais sombrios e vergonhoso do que as outras pessoas? Segredos que me esforço para guardar... inclusive de mim mesma?"
Tudo parecia completamente normal e perfeito, mas algo estranho acontece. Emily pede a Stephanie "um pequeno favor" e depois disso simplesmente some deixando seu filho para trás. Isso seria de fato possível? Será que pode-se enganar tanto com relação a alguém? 
 
A história tem começo com uma espécie de pensamentos sobre o passado e em seguida somos apresentados a Stephanie através de seu blog com uma primeira chamada assim: "BLOG DA STEPHANIE URGENTE!"
 
Em seguida a isso seu post dá as boas vindas as mães e diz que o post é diferente de todos já escrito, porém não menos importante que os demais. E aí ela conta que sua melhor amiga desapareceu faz dois dias e cita o nome da amiga, dizendo que ela nunca faria isso antes, mas que por motivos específicos a situação agora é diferente. Fala dos filhos de ambas de maneira bondosa e amorosa e começa a narrar uma estada com sua melhor amiga onde assistiam a um filme baseado em um livro de crime e suspense e ao perguntar a sua amiga, um tanto quanto assustada se alguém no mundo seria capaz de fazer algo assim na vida real. Sua amiga lhe diz rindo: - Ah, minha doce Stephanie, você ficaria surpresa com o que as pessoas são capazes de fazer. Coisas que elas jamais admitiriam a alguém... nem a si mesmas.
    "É tão legal ter uma amiga de verdade que às vezes me esqueço do quanto era solitária antes de nos conhecermos."
Percebemos aí que Stephanie apesar de apreciar a amizade, gostaria de dizer coisas que contradizem como a outra pensa a respeito dela; mas seu espanto diante ao tom e atitude da amiga foi tão grande que ela deixou para lá e apenas conseguiu lembrar-se de sua própria história, do que sua mãe lhe dizia no passado sobre confiança e segredos.

Emily possui um emprego que as vezes precisa viajar e em uma dessas vezes ela desaparece deixando seu filho para trás. Seu trabalho é no departamento de relações públicas da empresa de um estilista famoso, na verdade diretora desse departamento. Uma coisa incomum é que as amigas sempre se revezaram para buscar os filhos no colégio, passar tempo juntas com os meninos e etc e mesmo quando Emily trabalhava até tarde ela sempre enviava uma mensagem nos intervalos mandando notícias. Ela é uma mãe comum, sem ser super protetora ou chata.. digamos que consciente. E sempre que Emily voltava para casa ia direto buscar seu filho Nicky.. Ela é o tipo de mãe que quando o trem atrasa ou algum imprevisto ocorre ela envia mensagens e te mantém informada. E de repente faz dois dias que Emily sumiu sem deixar ou mandar notícias, sem retornar ligações.. Simplesmente some! E isso é muito assustador, pois só pode ter ocorrido algo muito terrível!

E com sua mensagem no blog é como se ela estivesse perguntando aos seus leitores se Emily parece ser o tipo de mãe que simplesmente sumiria sem que algo muito, muito ruim tivesse ocorrido. Bom.. Com esse blog e as escritas de Stephanie temos uma percepção mais direta de como ela é como pessoa e como ela se sente e pensa, sua visão sobre maternidade, sobre si mesma e até sua seu relacionamento com sua melhor amiga. Com isso vamos percebendo que ela apesar de transparente na medida do possível, também é uma pessoa autocrítica e que parece de alguma forma estar envolvida no desaparecimento de sua amiga; pode parecer loucura, mas isso dá a entender em determinado momento de sua escrita para seu público de mães. O que acontece é como descrito nos quotes, sempre temos segredos e as vezes os guardamos tão bem, que nem nós mesmos sabemos disso!

O livro fala muito sobre nossas falhas como pessoas e seres humanos, sobre os segredos que guardamos do passado, presente e que muitas vezes isso nos afeta de maneiras irremediáveis. Tudo isso envolvendo personagens reais que ao mesmo tempo que são intensos e profundos, são superficiais em outros aspectos, e é o que nos remete a pensamentos próprios e nos guiam em um misto de dúvidas em alguns momentos e outros deixa claro o quão previsível seria a atitude de determinado personagem em uma situação. Não temos apenas a visão de Stephanie da história e é justamente aí que ficamos pensativos e reflexivos sobre determinadas coisas mencionadas.

A história é envolvente e ao mesmo tempo que previsível nos confunde, mostrando que certas coisas não são bem assim. E o fato de nos trazer mais de um ponto de vista nos coloca como "juízes" "julgadores" dos atos e atitudes.. Mesmo que não queiramos esse papel.

Amei a capa, revisão e diagramação. Apesar de simples, não deixa nada a desejar.

6 comentários

  1. Confesso que ler não é meu forte deste gênero mas gosto de assistir, ainda não vi o filme e na verdade eu vou ver não ler, mas de qualquer forma eu gostei de conferir sua resenha e a sua opinião sobre ele, obrigada pela opinião sincera sobre.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Tenho lido bons livros com premissas parecidas e confesso que o enredo me atraí muito. Não conhecia esse lançamento, mas já vou procurar pra conhecer. Fiquei curiosa para saber mais sobre a personagem e gosto de histórias surpreendentes, que nos coloca a ponto de julgar algumas atitudes e rever alguns conceitos.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  3. OLá!! :)

    Confesso que nunca tinha ouvido falar deste livro, mas a verdade e uqe fiquei algo curioso, nao obstante alguns cliches.

    Enfim, que bom que ele nos faz pensar sobre as nossas falhas como pessoas, e que e capaz de nos confundir!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Eu ainda não conhecia esse livro e... caramba, que história mais instigante! Só de ler sua resenha já fiquei sem fôlego, imagina quando eu ler o livro, haha. Amei a resenha, vou adicionar a obra na minha lista de desejados!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  5. Oiê! Não conhecia o livro, mas esse eh um gênero que muito me agrada e só de ler a sua resenha já fiquei curiosa para descobrir o que aconteceu com a Emily. Também achei legal que o livro tenha te levado a refletir sobre algumas das atitudes e falhas dos protagonistas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem? Confesso que não sabia da existência desse livro, vi algumas chamadas do filme na televisão mas, não imaginava que era uma adaptação literária. Com tantas adaptações sendo lançadas tão próximas umas das outras, estou começando a achar que os produtores estão sem inspiração...kkk

    Pela sua resenha pude perceber, que é esse é um livro de suspense bem elaborado e com algumas falhas que poderiam ser evitadas, mas, fiquei muito curiosa para saber qual "é o pequeno favor" que da titulo ao livro e, principalmente quais as consequências que ele terá no livro. Espero que não seja ao bobo e com explicações fúteis..rs.

    Beijos e Abraços Vivi
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir