Resenhas: Tartarugas Até Lá Embaixo - John Green

Editora: Intrínseca
Páginas: 272
Ano: 2017
Gênero: Ficção / Jovem adulto / Literatura Estrangeira / Romance

*Acervo Pessoal*

Sinopse: Depois de seis anos, milhões de livros vendidos, dois filmes de sucesso e uma legião de fãs apaixonados ao redor do mundo, John Green, autor do inesquecível A culpa é das estrelas, lança o mais pessoal de todos os seus romances: Tartarugas até lá embaixo.

A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância –, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.



Olá galerinha, tudo bem? Eu costumo amar histórias assim, que tem algum tipo de patologia no meio e que trazem reflexões. Quando eu vi o nome John Green, já pensei, preciso ler! Eu costumo curtir muito os livros do autor, então não poderia deixar de conferir esse pelos motivos que disse acima. 
Vamos ver o que eu achei?

Nessa história iremos conhecer Aza Holmes e Daisy, moradoras de Indianápolis - EUA. Elas decidem entrar no caso do Bilionário Fugitivo, como o dinheiro ofertado pela família era bem alto e elas estavam precisando do dinheiro, então, embarcaram nessa. Com isso elas começaram a investigar o caso e aos poucos foram juntando suas pistas e desenvolvendo pensamentos e teorias sobre o caso, Aza acreditava que tinha alguma coisa mal contada nessa história. Tudo parecia estar indo bem, e parecia que em breve elas iriam levar uma bolada. Mas no fundo não era bem assim. Aza, sempre escrava de seus pensamentos, sentia nojo de coisas normais, que em geral as pessoas não se sentem assim, como seus próprios pelos, suor e etc. Além de se sentir incomodada de uma maneira anormal sobre sua magreza; e se já não bastassem esses pensamentos estranhos sobre ela mesma, ela ainda tinha alucinações ou devaneios estranhos.

Nessa busca pelo Bilionário, Aza acaba batendo de frente com seu passado e encontrando um amigo antigo. O que exatamente uma coisa tem com a outra? Bom.. Aza conhecia o filho do Bilionário Fugitivo, Davis, o tal amigo do passado. Em seu passado, Aza já frequentou um acampamento que era exclusivo para crianças que perderam um dos pais e foi nesse local que Aza conheceu Davis e com isso ela também acabou tendo algum tipo de contato com a família Pickett e acabou descobrindo alguns dos seus segredos; com por exemplo a existência e localização de uma câmara que os filhos de Russel esconderam. E quando sua amiga a incita, ela resolve embarcar nessa aventura, por conhecer um pouco da história da família e por estar precisando da grana.

Elas resolvem ir à casa dos Pickett na tentativa de encontrar pistas que levem à resolução do caso, porém elas encontram Davis; e ainda que na época do acampamento fossem apenas duas crianças, Aza e Davis se lembram um do outro. Eles não eram amigos falantes ou coisa assim, mas curtiam as mesmas coisas, como observar o céu juntos; ambos perderam um dos pais e a dor acaba unindo as pessoas de maneiras estranhas. Além disso, soma o fato de ambos terem problemas em se comunicar e relacionar, mas de alguma maneira eles conseguiram se ligar no passado e como se ainda existisse um manto que liga os dois.

A história é bem desenvolvida e temos nas mãos personagens incríveis e tocantes com seus muitos defeitos e algumas qualidades. E como eu já imaginava no começo, eu amei Daisy desde o primeiro momento. Adoro quando a trama surpreende nos trazendo não apenas protagonistas intrigantes, mas personagens secundários que te encantam ou surpreendem de maneira inesperada. Durante a história vamos nos deparar com trechos da fanfic de Daisy; ela é uma escritora que tem uma certa fama. E aí fiquei com a sensação de que poderia facilmente ler algo a respeito de Daisy posteriormente, que o personagem tem muito mais para agregar.. Além da Daisy, temos também Noah, irmão mais novo de Davis.. Que também rouba a cena em alguns momentos. 

Voltando ao enredo principal eu adorei os personagens e o desenrolar da trama, como mencionei, porém o final eu esperava algo diferente do que foi.. Mas não vou dizer que foi ruim.. Foi aceitável. 
Entendi o livro como sendo um dos mais sensíveis do autor, por retratar um distúrbio com o qual o autor convive e podemos identificar isso durante toda a leitura de Tartarugas Até Lá Embaixo.
A história teve seus altos e baixos, confesso que eu esperei mais em alguns momentos, mas ainda assim foi uma leitura muito boa. 

Beijos.




 

12 comentários

  1. Oiii, Karini, como está?
    Quando vejo o nome John Green também tenho a mesma ação que você, esse ainda não li, em alguns momentos lendo outras resenhas não me senti tão motivada a ler como Culpa das estrelas e todos os outros livros do autor, parece que por mais que tu resenha tenha sido ótima, faltou aquele Q na obra para me prender e me fazer comprá-lo.
    Ótimo post.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Tem alguns livros que nos deixam com um sentimento de incompleto mesmo e nem sabemos explicar o motivo. Eu não li este, na verdade, confesso que do autor só me interessei mesmo por ACEDE.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  3. Oi, Karini!
    O único livro que li do John Green, foi a A Culpa é das Estrelas e por mais que tenha lido e escutado comentários super positivos, não consegui me encantar muito. Para mim, ficou faltando algo.
    Então acabei não dano oportunidade para outros livros do autor.
    Parabéns pela tua resenha!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Gosto da escrita do autor e confesso que estou curiosa para conferir mais da abordagem em relação a personagem e seu transtornos obsessivos.
    Espero conseguir me conectar com o enredo e aproveitar a leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  5. Oi, Karini! Tudo bem?
    Vou te confessar que discordo um pouco de você. Para mim, esse foi de longe o melhor livro do John Green e eu amei o final. Pode não ter sido o que eu torcia, mas achei que foi mais real possível e ainda assim muito sensível. Foi bem diferente do que imaginava, mas achei o final perfeito.
    Mas que bom que, mesmo não gostando do final, tenha curtido a leitura.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Eu já li alguns livros do autor e gosto muito, por isso tenho curiosidade com essa obra. A premissa é bem interessante e acho bacana histórias que abordem alguma doença ou transtorno. Pelos seus comentários é uma obra bem construída e adorei saber que todos os personagens são cativantes. Enfim, adorei conferir sua resenha, espero ler essa obra em breve.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  7. Eu acho John Green um ótimo autor para adolescentes, nisso inclui Tartarugas até lá embaixo, creio que quando a gente vai amadurecendo e se deparando com outras leituras mais complexas e estruturadas, esse fica um pouco fora de mão, mas não perde sua graça.

    ResponderExcluir
  8. Oi Karini, sua linda, tudo bem?
    Engraçado, eu nunca tive vontade de ler esse autor, até esse livro, e como saiu a informação de que ele será adaptado a vontade aumentou ainda mais. Bom saber que não devo ter tantas expectativas, é uma pena, tinha tudo para ser um excelente livro. Gostei muito da sua resenha sincera.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Eu já li dois livros do autor, e eu senti que ele meio se repetiu. Li muitas resenhas positivas deste livro, mas eu ainda que a história não é para mim, mas claro que Green sempre tem muitos fãs e a leitura deve ter agradado a muitos.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Confesso que não sou fã do autor e tenho sérios problemas com a escrita dele que infelizmente não me cativa, já li uns 3 livros dele e infelizmente não consegui amar nenhum haha. Por isso não sei se leria Tartarugas até lá embaixo, mas como não deixo de dar novas chances para autores vou tentar ler, com menos expectativas agora que li sua opinião e sei os pontos altos e baixos. Já gostei da Daisy também!

    ResponderExcluir
  11. Oi Ka, esse é um dos meus livros favoritos do ano de 2018, me identifiquei muito com a protagonista, acho que a história não é aquele enredo arrebatador mas a representatividade ali é muito importante.

    ResponderExcluir
  12. Ola!!

    Nossa, estou completamente alucinada de vontade de ler esse livro! O comprei na época do seu lançamento, mas ainda não tive a oportunidade de lê-lo. Amo os livros do John Green e acredito que esse deve ser algo realmente tocante e unico.

    beijos

    ResponderExcluir