Divulgação: Lançamentos da Editora Rocco




Sinopse - A floresta pode ser um lugar traiçoeiro para um filhote de raposa, mas Isla é corajosa e astuta. Apesar do medo, ela segue em busca de seu irmão, Pirie, supera diversos obstáculos e faz novos amigos em sua jornada. Sem descanso, Isla precisa fugir das raposas escravizadas em busca da sabedoria dos anciãos, se ainda quiser encontrar seu irmão. Segundo livro da trilogia assinada por Inbali Iserles, Foxcraft: os anciãos é uma tocante fábula sobre sobrevivência e amadurecimento, narrada pelo ponto de vista de uma raposa filhote. A pequena Isla é obrigada a entrar na Terrabrava para buscar seu irmão Pirie, desaparecido após um ataque que matou toda sua família. Durante a viagem, Isla enfrenta múltiplas dificuldades e ainda precisa lidar com a volta de Siffrin, que a apresentou ao foxcraft – arte mágica ancestral conhecida apenas pelas raposas. À medida que avança, Isla sente que seu destino está cada vez mais ligado aos Anciãos, um grupo de sábias e poderosas raposas que dominam o segredo do foxcraft. Mas há diversos perigos na jornada: uma cruel e misteriosa raposa espreita na floresta. Com o dom de controlar a vontade dos outros, esse novo inimigo tem planos para Isla e, com a ajuda das raposas escravizadas, fará de tudo para impedir o encontro de Isla com os Anciãos. Isla precisa decidir em quem confiar e os anciãos podem ser a única esperança. Inbali Iserles faz parte do time de escritores por trás da série Survivors, bestseller do The New York Times escrita sob o pseudônimo de Erin Hunter, e domina a arte de contar uma história sensível e instigante, recheada de reviravoltas e aventuras. Foxcraft: os anciãos é a aventura perfeita para jovens leitores fãs de títulos como O pequeno príncipe; Pax, de Sara Pennypacker; ou a série Fronteiras do Universo, de Philip Pullman, entre outros. 

Sinopse - Uma história policial que parece saída de noticiários do mundo inteiro, com múltiplos assassinatos, tráfico de drogas, prostitutas escravizadas e contrabando. Assim é o Letal, thriller no qual a veterana Sandra Brown constrói uma trama extremamente realista, sem deixar de lado o suspense e o erotismo característicos de suas narrativas. No livro, um homem ferido, acusado de assassinar sete pessoas, se esconde no quintal da jovem viúva de um policial, tomando a mulher e sua filha de quatro anos como reféns enquanto tenta escapar de seus perseguidores pelas estradas e rios da Lousiana, nos Estados Unidos. Afirmando-se inocente, ele busca respostas para crimes cometidos por uma rede bem organizada, cujos integrantes estão camuflados em papeis sociais distintos. Sem fixar a trama no casal de protagonistas – o fugitivo que se apresenta como um estivador de passado desconhecido seria um agente federal infiltrado para descobrir a quadrilha –, Sandra Brown traz, em cada capítulo, teses que são desconstruídas por diferentes personagens. Até a situação das reféns é questionada – teria a jovem viúva se envolvido com seu captor e tornado-se sua cúmplice? – por pessoas que estariam ou não à frente desses mesmos crimes. O próprio marido da viúva tem sua integridade posta em dúvida. Morto em acidente de carro, ele poderia ter investigado ou fazer parte da folha de pagamento dos criminosos, que aliciam policiais de todas as esferas para encobrir ou mesmo praticar falcatruas. Enquanto a trama se desenrola, Sandra Brown não esquece dos dramas paralelos da vida de cada personagem. Um matador contratado pelo Contador, o codinome do chefe da rede criminosa, hesita em eliminar uma testemunha – uma adolescente prostituída por quem se apaixona. Um dos policiais federais e sua mulher se dedicam incansavelmente a cuidar do filho com paralisia cerebral desde o nascimento, que levou a mãe a deixar de lado a carreira profissional e impediu o casal de realizar os sonhos de conhecer o mundo e ter uma vida sofisticada. A melhor amiga da jovem viúva é uma mulher que cresceu nos negócios ao casar-se com homens mais velhos bem-sucedidos. As críticas ao comportamento de todos surgem nos comentários de cada participante desta trama, cujo senso de realismo serve como base para o leitor se enredar em desvendar cada mistério.

Sinopse - Com 22 anos, Ellie Kolstakis tem dívidas e um estágio não remunerado, e o desejo intenso de viver incríveis aventuras amorosas e sexuais. Depois de perder a virgindade aos 21 anos, a jovem achou que todas as suas inseguranças fossem sumir da noite para o dia e que homens interessantes fossem bater a sua porta e animar a sua rotina. Ao contrário: frustrada, ela coleciona fracassos e passa o dia bisbilhotando os amigos pelas redes sociais, até que decide recorrer aos sites de relacionamento. Azar no amor, sorte no trabalho: ao menos as desventuras de Ellie rendem boas e impagáveis histórias, e o convite para assinar uma coluna de comportamento na revista. Em uma narrativa leve e divertida, Radhika Sanghani cria novas e hilárias situações para a jovem Ellie Kolstakis, a anti-heroína de Virgem, seu livro de estreia. Nada fácil consegue abordar os velhos e novos tabus em torno da satisfação amorosa e sexual de forma divertida, empolgante e despretensiosa.
Sinopse - No primeiro livro da série protagonizada pela jovem Charlotte, descobrimos que o talento para solucionar crimes corre no sangue da família Holmes. Com apenas 10 anos, a mais nova descendente do detetive ajudou a polícia a recuperar diamantes que valiam três milhões de libras. Agora, no ensino médio, a capacidade analítica da jovem é posta mais uma vez à prova quando um estudante da escola que ela frequenta nos Estados Unidos aparece morto sob circunstâncias intrigantes, aparentemente inspiradas em uma das histórias mais aterrorizantes de Sherlock Holmes. Os principais suspeitos do crime? Charlotte Holmes e Jamie Watson. Sim, esse mesmo, o tataraneto do fiel amigo do detetive inglês. O primeiro crime solucionado por Sherlock Holmes, icônico personagem de Sir Arthur Conan Doyle, foi apresentado aos leitores há mais de 130 anos. A personalidade ácida e a mente brilhante do mais famoso detetive da ficção, no entanto, permanecem atuais e inspiram séries, filmes e livros. Um estudo em Charlotte é uma referência ao primeiro livro sobre Sherlock, Um estudo em Vermelho, e traz uma série de referências às tramas do famoso detetive. Como Sherlock, Charlotte toca violino, é ótima em assumir diferentes disfarces, conduz experimentos forenses e tem uma fraqueza por opiáceos. Apesar de também ter herdado a audácia e petulância do tataravô, Charlotte tem seus próprios mistérios. Já Jamie sempre foi intrigado pela moça, mas, apesar do histórico familiar, os dois só se conhecem poucos dias antes do crime. Juntos, eles terão que provar que não são os culpados e, para isso, precisam agir como detetives. Vencedor do prêmio de melhor ficção para jovens adultos da American Library Association, Um Estudo em Charlotte, da autora estreante Brittany Cavallaro, agrada tanto a leitores que começam a se interessar por tramas de suspense quanto aos fãs do universo de Sherlock Holmes.

Nenhum comentário