Resenha: Stalker - Tarryn Fisher

Editora: Faro Editorial
Páginas: 256
Ano: 2018
Gênero: Ficção / Literatura Estrangeira / Suspense e Mistério 

*Recebido em parceria*

Sinopse:  Deprimida após sofrer um aborto espontâneo, Fig Coxbury passa seu tempo em praças observando as crianças que poderiam ser a sua filha. Até que uma menininha brincando com a mãe desperta uma obsessão. Logo, Fig se vê mudando de casa e de bairro não por necessidade, mas porque a casa vizinha oferece tudo o que ela mais deseja: a filha, o marido e a vida que pertence a outra pessoa.





Olá pessoas queridas! Como estão? Saudades de vocês; sei que ando sumida, mas andei lendo algumas coisinhas e vou compartilhando com vocês. Um dos livros que eu li, foi Stalker da Tarryn Fisher, e esse foi um livro que eu estava bem curiosa, pois ele dividiu opiniões dos leitores da Tag Inéditos, assim como na blogosfera literária em si. Eu já estava familiarizada com a escrita da autora e uma das coisas que eu posso dizer é que eu li esse livro em uma tacada só, pois deixar ele de lado por qualquer razão era agonia pura de tanta curiosidade. 

Bom, para quem não sabe, Stalker não é apenas mais uma história qualquer, ele trás uma situação que aconteceu com a autora de fato e isso foi um dos pontos que mais me chamou a atenção e confesso, que eu no lugar dela, não sei o que faria.
 
"Eu poderia ser uma versão sua melhorada. Sou todas as mulheres; tenho todas dentro de mim."

A história flui de maneira rápida e vamos nos envolvendo a cada virada de página. Temos Jolene, uma mãe comum, com uma família aparentemente normal, e que se torna alvo de uma mulher que horas parece uma completa insana e outras parece levemente comum. Fig perdeu um bebê e parece que esse era o grande sonho de sua vida; ser mãe! Mas as coisas não saem como planejado e nem mesmo seu casamento. A história trás o ponto de vista da Fig sobre toda a situação insana em que está vivendo, pois ela quando vê a filha de Jolene, se convence de que é sua menininha.. Algo como reencarnação.. E com isso ela mergulha de cabeça em uma nova vida, trocando de casa e até mesmo sua aparência para se encaixar como vizinha da família de Jolene. Ela de fato consegue se aproximar da família e se tornar amiga do casal Jolene e Darius. O mais curioso é que Darius é psicólogo e ele enxerga uma certa insanidade em Fig e tenta alertá-la, mas sua esposa parece não querer dar ouvidos, pois ela é um tipo de pessoa que procura ver o melhor nas pessoas e se esforça para ajudar aqueles que parecem estar perdidos ou com problemas. E é exatamente assim que Fig entra na vida de seus vizinhos, sempre ali.. Parece até que Fig é um membro da família de tanto que ela está presente em todos os momentos possíveis e até nos improváveis. 

O livro é narrado por um bom período pelo ponto de vista da Fig e com isso, vamos entrando em sua mente e vendo o quanto ela é instável e o quanto ela é nociva. Não basta se aproximar da família vizinha, ela quer ser a própria Jolene; quer tudo o que a outra tem. Quando ela se muda, ela estava acima do peso e se tratando com uma terapeuta, que cá entre nós, não servia de nada, pois a Fig, tem suas crenças e convicções e não acredito que nenhum tratamento ou pessoa poderia mudar a forma como ela vê a vida e o mundo ao seu redor. 
Mas, além do ponto de vista da Fig, para bem mais da metade do livro, iremos conhecer também o ponto de vista da Jolene e do Darius e com isso vamos encaixando algumas coisas e entendendo certas sensações.. 
 Não quero entrar muito em detalhes, mas posso dizer que a história é bem perturbadora e se a própria autora não confirmasse como sendo uma história real, eu sinceramente, jamais acreditaria.

Fig é aquele tipo de pessoa e personagem que tememos em vários aspectos, pois além de querer o seu marido, sua filha, seus amigos, ela quer ser você. Quer parecer fisicamente, e em cada espaço de detalhes. Juro que me deu arrepios!

A história é intensa e o único motivo de eu não ter dado 5 estrelas é por conta da parte da história do marido/ex-marido da Fig e do lance que ocorreu enquanto a Jolene e o Darius viajaram.. Achei que nesses dois momentos a autora poderia ter incluído mais detalhes, pois parece que faltou algo.. Mas entendo que esse possa ter sido o ponto de vista dela e a forma como ela se lembra dos fatos e tal. Eu cheguei a reler esses dois momentos para ver se na minha ansiedade por continuar não tinha atrapalhado meu entendimento ou falta dele.. Mas não foi, houve um espaço entre algumas situações e entendo que isso se deu pela mudança de perspectiva dos personagens, até.. Dá para compreender, mas nas entrelinhas. 

Apesar disso, a história é incrivelmente descrita e os personagens conseguem nos surpreender. Pois tive umas surpresinhas leves no decorrer do enredo. Sério, a Tarry merece todo o carinho do mundo por ter passado pelo que ela passou e ter conseguido sair mentalmente "normal". E pior.. é que parece que não parou ali..Vocês irão me entender se já leram e se não leram, leia logo.

12 comentários

  1. Oi Karini!
    Já ouvi falar desse livro, a história que é real me dá um certo receio de ler, a mente do ser humano pode ser sua ruína.
    Não conheço a autora, mas anotei a dica obrigado, parabéns pela resenha deu para ter uma ideia do que esperar do livro, fiquei curiosa com seu comentário no final que talvez não parou por aí, agora vou ter que ler o livro para entender, kkk. Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Estou com esse livro na minha estante e ainda não tive a oportunidade de ler, estou muito curioso com a história, pois só li resenhas e críticas boas sobre esse livro. Quero tentar ler até o final desse semestre.

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho lido muitas resenhas positivas sobre esta história, mas não sabia que era baseada num caso real que aconteceu com a própria autora! Fiquei chocada com isso!

    O livro me lembra muito um filme antigo que amo chamado A Mão que Balança o Berço, por conta desta questão desta obsessiva ter perdido o bebê e então entrado na vida de outra pessoa para tentar tomar o seu lugar. Então acaba por me lembrar muito o filme, embora pareça que a história vá seguir um rumo um tanto diferente.

    Essa mudança de perspectiva dos personagens é um jogo interessante, pois vai ser bom ver pontos de vistas diferentes dos da Fig. Eu estou muito curiosa sobre este livro.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Karini!
    Menina, quando li a sinopse desse livro e depois que era baseada em fatos reais fiquei chocadíssima (isso é outro nível de acontecimento né SOS). Ainda não li a história, mas pela sua resenha deu para perceber que é uma leitura bem interessante e que deixa a gente no limite para querer saber como termina. A escrita da Tarryn é sempre muito agradável e sua fluência é uma das coisas mais gostosas de acompanhar nas tramas, então obviamente está na minha lista de leituras futuras.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Karini!
    Quando esse livro foi lançado, li muitas resenhas dele e diferente de você, só li críticas positivas.
    Como sou a louca dos thrillers, sempre fico muito ansiosa com os lançamentos do gênero. Ainda não tenho o livro, mas quando conseguir comprar, com certeza vou querer ler.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Olá Karini!!!
    Eu acho que não cheguei a ler nada acerca desse livro e sua resenha é o primeiro contato que estou tendo com o mesmo e admito que a curiosidade bateu, principalmente pela aitora dizer que é baseado em fatos reais.
    Eu já fiquei toda arrepiada só com seu comentário acerca do livro e ele já está sendo adicionado a lista de leitura.

    lereliterario.blogapot.com

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Eu tenho um caso de amor e ódio com essa autora, mas estou curiosa com esse enredo que pretendo realizar a leitura. Acho que os suspenses e o fato da Tarryn ter tido algumas experiências que deram origem ao livro é algo que deixa a nossa mente aguçada para saber mais sobre os personagens e o desfecho da trama.
    Espero que dessa vez eu fique satisfeita com o final.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  8. entoa, eu já tinha ouvido falar do livro uns dias atrás e realmente fiquei intrigada com essa premissa... deve ser bem tenso acompanhar a narrativa, essa obsessão da personagem pela familia da outra...

    já tá na minha lista de possiveis leituras... e eu espero me surpreender com a escrita da autora...
    bjs...

    ResponderExcluir
  9. Tá todo mundo indicando e elogiando este livro e eu estou curiosa pra ler. Gostei de você pontuar também os motivos que fizeram você tirar uma estrela na avaliação. Ainda assim quero muito ler.
    beijos

    ResponderExcluir
  10. O que mais me chama a atenção neste livro é o fato dele ser baseado em um trauma real, da própria autora. Tenho visto muitas resenhas destacando os pontos positivos dele, mas confesso que foquei me mordendo para saber o que aconteceu nessa viagem que fez você tirar uma estrela da avaliação, preciso ler para descobrir.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Eu estou bem curiosa para ler esse livro. Tenho muita vontade de conhecer os livros dessa autora, que são bem elogiados. Parece ser uma história que nos prende e amo um bom thriller. Só a capa que não achei muito legal, a que foi lançada pela tag é mais bonita.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura | Instagram

    ResponderExcluir
  12. Oi Ka, que coisa mais doida, eu também jamais acreditaria que isso aconteceu realmente, é bizarro demais. Apesar de nao ser o tipo de narrativa que desperte a minha atenção, fiquei muito curiosa justamente pela sua experiência com a leitura. Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir