Resenha Nacional: A Dama do Amanhecer - Uma canção de Luz e Trevas - Rafael Silva

Editora: PenDragon
Páginas: 276
Ano: 2018
Gênero: Fantasia

* Recebido em Parceria com a Editora

Sinopse - “Meu nome é Layla Anuris Merydian, e não me ajoelho perante ninguém”. Delwark é dividido entre poderosas nações que - a um grande custo - tentam manter uma frágil paz. Seus habitantes são capazes de manipular determinados elementos da natureza, como: luz, trevas, gelo, vida, eletricidade e a mente. Nesse mundo há algo que vale muito mais que qualquer quantia de ouro ou território: o sangue da linhagem de cada um e os poderes que poderiam ser concedidos aos descendentes. Em uma realidade dominada pelas linhagens de sangue, ganância e ambição, o que resta para aqueles que não se submetem a ninguém?

"A dama do amanhecer" é narrado em terceira pessoa e conta a história de Layla Anuris Merydian. Layla é filha de Helena e Elewan, o Duque de Gowdran. Com apenas 21 anos de idade, a jovem é temida por todos, inclusive seus familiares, por suas habilidades extraordinárias de luta e manipulação de suas habilidades. É uma jovem considerada fria e mortal e sua destreza é conhecida por todo o reino, que vive enviando pretendentes que são derrotados por ela em lutas ferozes.

Quando o Duque precisa atender a um chamado do rei e servir na capital, Layla acompanha o pai e se vê envolvida em inúmeras maquinações políticas. Para sair ilesa das várias armadilhas, a protagonista precisará não apenas usar suas habilidades físicas, mas também seu bom senso e instintos.

Layla é uma protagonista feminina poderosa, dona de si e independente, o que é incomum no mundo em que vive. Ela não hesita em agir contra qualquer um que tente prejudicá-la, mesmo que essa pessoa divida o que existe de mais importante nesse universo criado pelo Rafael Silva: o sangue.

Vários outros personagens se destacam no livro. Hector, segundo na linha de sucessão da família, tem apenas 19 anos de idade, mas uma mente ágil e estrategista. O mesmo podemos falar do Rei Teoren, Senhor de Ílum, que após tanto tempo governando, aprendeu a usar todas as ferramentas que possui para manipular as pessoas a fazer o que ele deseja.

Duncan Heriff, é um Sombra e braço direito do Rei. Suas habilidades são notórias e ele é capaz de tudo em nome da lealdade que possui com o seu Rei.

Temos também o doce Max, capitão da guarda do Duque e único verdadeiro amigo de Layla. Ele é o típico bom rapaz, muito honrado e decidido a cumprir seu papel, custe o que custar.

É bem interessante observar como o autor dá um destaque especial as personagens femininas do livro. Elas são fortes e determinadas, mesmo quando a situação as desfavorece, elas continuam lutando e seguindo em frente. Um exemplo disso é Amidala, uma mulher misteriosa e talentosa, dona de uma capacidade de observação ímpar e cheia de artimanhas.

O universo criado pelo autor traz também elementos mágicos, como as habilidades individuais dos personagens em manipular os elementos da natureza, criaturas diferentes,  Os Sombrios, raros manipuladores de luz e totalmente temidos em todos os cinco grandes impérios e os Brancos, a única classe capaz de anular os poderes de qualquer outra e muito mais.

Para os fãs de fantasia que curtem jogos políticos, lutas e personagens fortes, sem dúvida esse livro é leitura obrigatória.

Falando da edição, a PenDragon realizou um trabalho extraordinário com o livro! A diagramação está impecável e a obra possui detalhes incríveis, que enriquecem ainda mais o conteúdo.

Nenhum comentário