Resenha: Questão de Honra - A face da morte no dorso de um cavalo - Yuri Belov

Editora: Novo século
Páginas: 476
Ano: 2017
Gênero: Aventura / Ficção / Literatura Brasileira / Romance 

Sinopse:  Tristan Drake, um ex-oficial das forças especiais britânicas que também atuou no MI-6 nos tempos da Guerra Fria, ocupa hoje a posição de diretor de operações de uma empresa de arqueologia marinha instalada na ilha de Malta. Um dos navios da empresa se envolve num terrível e suspeito acidente. A tripulação, ferida e exilada, precisa urgentemente de socorro. Tristan, diretamente responsável por eles e num beco sem saída, recebe a providencial ajuda de um rico indiano radicado em Londres. Em troca, Tristan insiste em auxiliar o milionário a resgatar o filho Khaled, um jovem e talentoso hacker visto pela última vez em um misterioso vale encravado nas montanhas do Paquistão. Começa a partir daí uma extraordinária jornada por lugares exóticos, dos confins da China a uma  mina de coltan, um precioso minério, na África, onde a crueldade parece não encontrar limites. Porém, tornou-se questão de honra para o veterano ex-oficial saldar sua dívida, mesmo que para isso acabe por se envolver numa conspiração sem precedentes. "Questão de honra" é um livro eletrizante, com ação ininterrupta, no melhor estilo dos grandes romances de espionagem. Yuri Belov, com riqueza de detalhes e pesquisa profunda, tece uma narrativa a um só tempo empolgante e contundente, com um olhar crítico e audacioso sobre os tempos em que vivemos.

 Pode Conter Spoilers

Karini: Olá meus leitores queridos, como estão? Hoje, a Carol e Eu, trouxemos uma resenha nacional em dupla, algo que não fazemos faz um bom tempo. Ler o mesmo livro e por nossas opiniões na mesma postagem. O que acham? Bora conferir?

Book Trailer do Livro

Carolina: "Questão de honra" é um daqueles livros que prende a atenção do leitor do início ao fim, Conforme a sinopse explica, a história gira em torno de Tristan Drake, um ex-oficial das forças especiais britânicas. Logo no início da leitura fica claro que o protagonista é um homem repleto de habilidades, podendo ser comparado com os famosos agentes das adaptações cinematográficas.

Karini: "Questão de Honra" trás um misto, que eu costumo curtir muito, que é um mistério empolgante em meio a uma rede de intrigas e suspense dignos de livros e filmes de espionagens. Honestamente, eu não sabia muito bem o que esperar, quando resolvi ler o livro, mas Yuri Belov conseguiu sem sombra de dúvidas, prender minha atenção e me conquistar com sua maestria em criar um enredo complexo e ao mesmo tempo bem ambientado, com personagens bem desenvolvidos e uma trama para lá de intrigante. O protagonista, como disse a Carol e a sinopse, é Tristan Drake, um ex-oficial das forças especiais britânicas, que também teve seu papel na Guerra Fria, no serviço de inteligência do exercito britânico, ocupando atualmente uma posição de diretor de operações relacionadas a arqueologia da marinha na ilha de Malta.

Carolina: Trabalhando em uma empresa de arqueologia marinha, Drake se vê em meio a uma grande aventura quando um dos navios da empresa se acidenta e acaba aceitando a ajuda de Ameerah, filha de um rico e próspero empresário muçulmano de origem indiana radicado no Reino Unido que estava realizando algumas transações de negócios próximo ao local onde o navio sofreu o acidente.

Karini: A obra começa com uma exploração submarina, onde Drake é quem está a frente da operação, e quando ocorre um ataque, e aí a coisa fica ainda mais intrigante e empolgante, pois quem presta socorro é um Sheik, ligado a terroristas do Al-Qaeda. E então conheceremos Ameerah, filha do Sheik. Ameerah é uma personagem que eu gostei muito, pois em um enredo como esse, de "tiro, porrada, bomba, traições e afins", ela trás certa delicadeza à trama, mas não se engane quem pensa que ela é apenas um rostinho bonito de toda uma trama calculada, na verdade, ela tem muito a acrescentar a essa trama.
"Quando recebeu a informação de que um cavalheiro britânico se encontrava na capital do Sudão buscando por um negociante de diamantes de descendência indiana radicado em Londres, com participação na Nubian Enterprise e supostamente desaparecido no país, deu ordens a seus asseclas para que pegassem Tristan de qualquer jeito, pois ele poderia ser muito útil em cativeiro." (p. 122)

Carolina: Em troca da ajuda, Ameerah e seu pai pedem à Drake que ele os ajude a encontrar Khaled, o irmão de Ameerah. Embarcando em uma jornada cheia de percalços, Drake inicia um caminho repleto de reviravoltas, traições e espionagem.

Karini: Temos nesse livro uma narrativa em primeira pessoa que eu curto muito nesse tipo de enredo, pois como em geral a trama é bem extensa, os detalhes são importantes e a esse tipo de narrativa trás aquela sensação de estarmos fazendo parte da trama, na minha opinião. Em alguns momentos, achei que tinham diálogos longos demais, e um pouco cansativos, mas isso ocorre até entrarmos no clima no livro, depois tudo fluiu para mim de maneira rápida e interessante.
"Compadecido pelo drama pessoal com que o Sheik e a filha se defrontavam, Tristan resolveu ajudar a achar Khaled, do jeito que acreditou ser possível." (p. 35)

Carolina: Um dos pontos bem interessantes no livro é que a obra é bem descritiva, sem muitos diálogos. Geralmente, esse fato faz com a história se arraste, mas não foi o que aconteceu em "Questão de Honra". As descrições são detalhadas, mas não entediantes e o autor pesquisou muito o aspecto cultural e geográfico dos locais onde Drake percorre, trazendo uma riqueza ímpar ao enredo.

"Esta história se passa numa época em que está em curso uma guerra civil na Síria e outra no Iraque, e o conflito no Afeganistão já se arrasta por uma década e meia sem que haja solução à vista. Milhões de pessoas são deslocadas de suas casas, gerando um gigantesco contingente de refugiados. Violência e flagelo são vistos em vários locais da África; seca, corrupção, miséria, exploração e grupos radicais por todos os lados infligem sofrimento a gente inocente. Milhares de pessoas cruzam o mar Mediterrâneo em busca de uma vida melhor na Europa, fugindo da fome, guerra e violência; nem todos conseguem fazer a travessia, milhares sucumbem nas águas. " (p. 03)

O livro ainda conta com belíssimas ilustrações:


Karini: O livro trás, como disse no começo, uma ambientação incrível que nos faz ficar fascinado pelo enredo criado por Yuri Belov, e isso é algo que admiro muito, pois é difícil em um enredo com uma trama tão complexa o autor conseguir nos ambientar de maneira perfeita e ao mesmo tempo construir uma trama bem elaborada. Percebemos aqui o cuidado que o autor teve em nos fazer viajar por diversos lugares incríveis, com seus personagens bem delineados e o principal é que o livro, acho que como deu para perceber não trás uma trama fofinha, pelo contrário, temos todo um "choque de realidade", quando podemos comparar a ficção a atos reais ou no caso a realidade de que não existe só bondade ou momentos e finais felizes. Yuri Belov, mais uma vez com maestria consegue mostrar todas as facetas, caráter e personalidade de seus personagens, os tornando palpáveis, de forma que sabemos que existe "pessoas assim", não tão boas, ou gananciosas ou ruins mesmo!

Outra coisa maravilhosa, é que percebemos de verdade que o autor não apenas criou uma história, ele pesquisou cada detalhe, ele teve a preocupação de nos apresentar algo digno de autores famosos e consagrados! E mais uma vez eu deixo claro aqui o quanto eu fiquei surpresa e feliz com essa leitura!

Então essa é nossa opinião, da Carol e minha, espero que tenham gostado e convido vocês a conhecerem mais um autor nacional que em minha opinião tem muito a acrescentar e que promete grandes feitos!

O livro foi lido físico por uma de nós e pela outra na versão e-book. Ambas estamos satisfeitas com o que encontramos em termos de diagramação, ilustrações e afins!

Quem tiver interesse, o mesmo poderá ser encontrado em suas versões no site Amazon.com.br 
(E-book ou Físico).
Além disso, os livros físicos podem ser adquiridos diretamente com o autor por R$:29,90 já com frete incluso e com dedicatória caso queiram!
Contado do autor E-MAIL: questaodehonra.vendas@hotmail.com  

Yuri Belov (nome fictício) é engenheiro e gerente de projetos. Trabalhou em diversos lugares no Brasil e no exterior, como África e América Latina. É estudioso de história militar e medieval e apreciador de mitologia. É também autor do livro Odalisca, lançado pelo Grupo Novo Século.

O autor prefere não divulgar foto e nem nome, para assim manter sua privacidade o que me deixou ainda mais curiosa, pois esse nome ainda vai longe, depois do que li de seu material!
Espero ter a oportunidade de ler o seu outro livro.







17 comentários

  1. Oi!
    Eu gostei da resenha ☺ a temática do livro é bem interessante. Fiquei bem curiosa e lerei com certeza 😉

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou. Eu amei! Tenho certeza que irá curtir a leitura!

      Excluir
  2. Oi, tudo bem? Gosto de temáticas de guerra, mas acho que elas funcionam melhor pra mim quando no audiovisual, pois me prendem mais a atenção. Mas acho que pra quem gosta mais disso, esse livro deve funcionar. Obrigada pela dica, mas eu passo por enquanto :)

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Neste momento também estou focada em livros de guerra. Vou começar a ler em breve a Rapariga que roubava livros e tenho por ler O Diário de Anne Frank. Parece-me a ser do mesmo género. Conhece-os?
    Beijinho


    http://tudosoblinhas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Mesmo que a obra não possua um gênero literário que costumo ler, ainda assim a partir da opinião de ambas foi possível perceber que o autor conseguiu construir uma história muito bem desenvolvida, pois não deixou passar os mínimos detalhes. Por isso e claro que senti vontade e interesse de sair da minha zona de conforto e dar uma chance a leitura.

    ResponderExcluir
  5. Oii, tudo bem?

    Nossa, eu adorei a premissa do livro, principalmente porque tem envolvimento com o Oriente Médio, pelo qual eu me interesso bastante. Amei saber que a narrativa é em primeira pessoa, principalmente pelos detalhes e pela aproximação mais real da trama.
    Acho bem interessante isso de o autor ter pesquisado tudo bonitinho antes de colocar no livro, isso nos agrega bastante.
    Vou colocar o livro na lista de desejados, obrigada por compartilhar!!

    Beijinhos!!!

    ResponderExcluir
  6. Eu não conhecia o livro ainda e já pela capa ele me interessou, achei a premissa curiosa e fiquei com vontade de ler. Achei bem legal poder ver as duas opiniões no mesmo post, mas fiquei um pouco confusa por aparecerem intercalando os parágrafos, acho que se fosse uma e depois a outra no mesmo post seria mais fácil (para mim) de acompanhar. Mas isso não me impediu de compreender as duas.

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem? Não conhecia esse livro mas achei a premissa bem interessante. O fato do autor não querer "publicidade" também me deixou curiosa. É como se JK Rowling não quisesse ser conhecida por Harry Potter estranho não? Essa capa é bem sugestiva e me fez lembrar aquelas histórias de espionagem envolvendo a Rússia e muitos segredos. Achei legal a estrutura do post. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  8. Olá meninas!
    O livro parece ser interessante, e ainda por ser nacional, me sinto mais ansiosa para saber mais sobre! No entanto, a criação do conteúdo com as duas opiniões em conjunto me deixou um pouco confusa :/
    Eu sei que são duas visões diferentes, mas é engraçado ler que uma achou o livro sem tantos diálogos e a outra o contrario, que ele possui vários. Acho que essa formatação não funciona muito para mim rs
    www.palavrasambulantes.com

    ResponderExcluir
  9. Apesar de não curtir muito livros sobre espionagem cheguei a me interessar pela trama, por conta do desenvolvimento, do cuidado do autor ao realizar a pesquisa, como vocês disseram e por tratar de assuntos reais mesmo se tratando de um livro de ficção. E por mostrar esse outro lado do ser humano que tanto nos dói encarar: o lado ruim, interesseiro, que faz mal aos outros. Por mais que leituras assim acabem provocando um golpe dentro de nós é necessário esse choque de realidade.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia o livro e adorei a resenha dupla! Gostei de saber que é uma leitura com um choque de realidade. Gosto muito desse tipo de livro.
    beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    não conhecia esse livro, muito bacana a resenha de vocês, bem sincera e posso ver a empolgação de cada uma. Fiquei curiosa com a história, parece ser muito boa e bem desenvolvida! Dica anotada!

    beijos!

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Não conhecia esse livro mas achei bem interessante essa premissa, gosto de leituras com espionagens deixa nossa mente aguçada. Faz tempo que não leio e posto resenha em dupla, a sensação de compartilhar as experiências é uma delícia, fora que a leitura fica bem mais emocionante.
    Adorei as considerações!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bom?
    A gente sempre fica mais curiosa quando não sabemos quem é o autor, né? rs
    Além desta curiosidade, a trama também me deixou bem intrigada, devido a sua construção e a forma como o autor escolheu narrar, fazendo com que o leitor se sinta parte da história. Adorei a resenha e anotei a dica. Espero poder ler em breve ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Sempre bom indicação de autor nacional! Aliás este livro tem um monte de elementos que eu gosto. Realmente uma ótima aventura!

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  15. Olá meninas!!!
    O autor me deixou curiosa por não querer revelar muito de si já rsrsrs
    Eu sou uma pessoa chata, principalmente quando o livro é muito descritivo pois acabo empurrando com a barriga e não aproveitando tanto da leitura, mas fico feliz que esse consiga não ser chato nesse aspecto e consegue prender o leitor.
    Não sou adepta muito ao gênero, mas fiquei curiosa e me perguntando se dessa vez um livro assim me prenderia.
    Adorei a resenha!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir