Resenha: Extemporâneo - Alexey Dodsworth

Editora: Presságio
Páginas: 232
Ano: 2017
Gênero: Ficção Brasileira / Literatura Nacional / Fantasia
       * Recebido em Parceria com a Editora
Sinopse - O que você faria se nunca soubesse como, onde ou quando vai acordar? E se, cada vez que adormecesse, você se tornasse uma pessoa completamente diferente? “Todos os dias, você acorda e ao menos uma certeza serve de alento diante das inseguranças da vida: você tem um passado. […] E se eu insistir que tudo isso é mentira?” Em Extemporâneo, somos conduzidos pelos diários fantásticos de uma personagem em eterna mutação que tem, na escrita, sua única chance de tentar se encontrar em meio às múltiplas realidades para as quais desperta, dia após dia. Entre um Brasil nazista paralelo, uma idílica Itália revisitada e uma Irlanda que pode não ser bem a que conhecemos, aventure–se pelas vidas de alguém que habita muitos corpos e busca a saída — ou ao menos um sentido — para o ciclo eterno de renascimento e de esquecimento ao qual parece estar condenado. Ou seria condenada? Extemporâneo nos conduz pelo desafio de descobrir o que há de permanente no caos de um cotidiano em que ficção e realidade não são opostas. E cuidado ao acordar, pois, como diz nosso guia–autor: “o que acontece comigo também acontece com você. A diferença é que você não lembra.”

"Extemporâneo" é narrado em primeira pessoa por um protagonista de muitos nomes e muitas vidas. O protagonista acorda sempre no dia 14 de janeiro de 2015, mas em países diferentes e realidades diferentes. Um dia o narrador encontra-se em um Rio de Janeiro distópico, onde o país é nazista e as pessoas possuem data de validade; no outro acorda com habilidades psíquicas e no corpo de um transexual ou então em uma realidade em que é uma adolescente problemática ou até mesmo em um lugar mais isolado, como um Padre.


"É sempre a mesma droga de vez: 14 de janeiro de 2015". (p. 10)

O que inicialmente aparenta ser desconexo e completamente sem sentido, vai sendo costurado aos poucos, com detalhes essenciais que explicam esse elo metafísico e existencial entre os protagonistas e suas realidades.

Cada um dos protagonistas traz uma visão totalmente diferente do protagonista anterior, mas ao mesmo tempo, traz em sua essência um caráter e uma personalidade única. 

Imaginem acordar sem saber onde está ou sua identidade, sentindo-se a deriva de tudo e de todos ao seu redor e ao mesmo tempo, tendo que agir rapidamente, pois algo importante está prestes a acontecer. É isso que observamos em cada uma das realidades apresentadas em "Extemporâneo".

Em paralelo a essas realidades, o leitor observa um local constante, governado por uma Rainha que tem o controle total dos acontecimentos, mas que demonstra curiosidade e frustração em relação ao protagonista. O embate dos dois é filosófico, reflexivo e cheio de significados.


"As palavras funcionam como o novelo de linha daquela figura mitológica, a tal Ariadne, demarcando a passagem de Teseu pelo labirinto do Minotauro. Permitindo que o herói não se perca e possa retornar para os braços de sua amada. Não que eu tenha qualquer esperança de escapar do meu próprio inexplicável labirinto, mas eu queria, pelo menos, poder saber por onde andei. E, quem sabe um dia, voltar para mim mesma." (p. 89)

9 comentários

  1. Não gosto muito desse tipo de gênero, mas esse é até interessante.

    Beijos,
    www.thalitamaia.com

    ResponderExcluir
  2. Parece bem fora do contexto, mas já vi por ai livros que um determinado personagem sempre acordar no corpo de outra pessoa. E tem um até que famoso. Acordar sem saber onde esta sua identidade e se sentir perdido deve ser uma coisa bem complicada.
    Mas não leria, te confesso que é confuso para mim..

    ResponderExcluir
  3. Oi! Acho que vi algumas resenhas sobre este livro, e confesso que achei um pouco confuso e repetitivo, esse lance de acordar sem saber onde e que é.. Acredito que o embate entre os dois personagens deva ser mesmo interessante, devido as diferenças e por ele sempre acordar em lugares diferentes, e sendo pessoas diferentes. Obrigada pela dica!

    Bjoxx ~ Aline ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  4. Ooi,
    O fato do protagonista acordar todo dia num corpo diferente é super parecido com o livro e filme "Todo Dia"... não sei se essa semelhança foi intencional... Enfim, eu achei legal sua resenha e gostei de conhecer o plot desse livro. Parece mesmo um pouco confuso pra mim, e talvez eu deixe a dica passar por causa disso.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Sabe que já me peguei pensando nisso. Em acordar em diversos lugares diferentes. Mas daí penso que no mesmo dia seria complicado porque daria para saber muitas coisas, mas como neste é diferente o cenário acho que é meio que uma loucura. Se pudesse aproveitar mais que um dia?

    ResponderExcluir
  6. Oi, Carol. Que ideia mais interessante a dessa história.
    Me lembrei de outros livros como o Todo Dia e o Mil Pedaços de Você, que tem uma ideia aproximada, mas algo assim eu nunca tinha visto e achei super original!
    Fiquei super curiosa agora!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  7. Oiii tudo bem??

    Achei a premissa um pouco parecida com todo dia, mas com algumas diferenças pontuais. Quero, preciso e necessito desse livro, amos historias assim, e ja esta nos desejados, já ate verifiquei e tem no skoob pra troca, e la vou eu.
    Adorei a resenha
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  8. Oi.

    Esse enredo me lembrou muito outro livro, um que gostei muito. Apesar da semelhança, o livro não me interessou muito. Vou deixar essa dica passar por enquanto.

    ResponderExcluir
  9. Li essa obra, mês passado e achei fantástica. Essas viagens através do tempo que o personagem faz, me prendeu demais na leitura e coitado, sempre acordava em apuros. Eu recomendo esse livro para todos.

    ResponderExcluir