Resenha: Invisível - Tarryn Fisher

Editora: Faro Editorial
Páginas: 256
Ano: 2020
Gênero: Suspense / Mistério
* Recebido em Parceria com a Editora
Sinopse - Margô mora em uma casa caindo aos pedaços, num bairro abandonado, com sua mãe que a ignora há dois anos. Ela se sente invisível, até que a amizade com Judah, seu vizinho cadeirante, muda suas perspectivas e a desperta. Quando uma criança de sete anos desaparece em seu bairro, Margô resolve investigar o caso com a ajuda de Judah e o que ela descobre a transforma por completo. Agora, determinada a encontrar o mal, caçar todos os molestadores de crianças, torna-se a razão de sua vida. Com o risco de perder tudo, inclusive sua própria alma, Margô embarca num caminho sem volta... E o que isso diz a ela sobre si mesma? Por que decidiu fazer justiça? O que a tornou tão invisível?

"Invisível" é uma obra impactante, que traz uma protagonista resiliente, que tem uma vida trágica e que de alguma forma, consegue lutar pelos outros.
"Nem todo mundo pode ser salvo [...] Às vezes, você só tem que deixar a natureza seguir seu curso."
Margô crescendo com a necessidade de se manter invisível. Em uma casa caindo aos pedaços, com uma mãe que na maior parte do tempo a ignorava enquanto trabalhava atendendo homens no local, Margô não soube o que era generosidade, carinho e amor ao longo dos anos.

O relacionamento entre as duas fez com que a protagonista desenvolvesse uma baixa autoestima e não tivesse perspectivas para o futuro.
" - Margô - diz ela. Espero pela ordem, prendendo a respiração. Desta vez, ela está olhando para o meu reflexo, um pouco atrás dela. -Você não é uma menina bonita. Poderia pelo menos emagrecer. O que você não tem no rosto, pode ter no corpo."
É apenas aos 18 anos de idade que Margô recebe uma lufada de ar fresco de sua vida, pois é o momento em que conhece seu vizinho, Judah.

Judah tem uma alegria de viver inegualável, mesmo tendo tantos contratempos em seu caminho. É um personagem carismático, inteligente e repleto de vontade de viver.

É essa amizade entre os dois que vai sustentando Margô durante a história. Margô gosta muito de uma garotinha do bairro, Nevaeh e quando um dia, essa linda menina desaparece, um sentimento de revolta começa a borbulhar dentro da protagonista. E isso apenas piora quando Nevaeh é encontrada meses depois sem vida.
"-Todas as coisas ruins que acontecem aqui lembram as pessoas do que elas estão tentando esquecer. Quando se é rico e vê coisas como essa na TV, você abraça seus filhos e se sente grato por não ser você. Quando se é de Bone, você abraça seus filhos e reza para não ser o próximo."
Como se isso não bastasse, a sua situação familiar sofre uma grande reviravolta e Margô decide que não vai aguentar mais tanta injustiça e irá fazer justiça com as próprias mãos.
"Meu coração dói, como se estivesse cansado e machucado. Mães machucando seus filhos, mães desistindo de seus filhos, mães amando algo mais do que seus filhos."
A beleza dessa obra da Tarryn Fisher está exatamente na exposição da feiúra da realidade. A temática do livro é pesada, fala de violência, tanto física quanto emocional, e demonstra o lado mais sombrio do ser humano.

Nenhum comentário